Programa Agregar-RS Carnes gera R$ 108,5 milhões em ICMS

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O programa Agregar-RS Carnes, do Governo do Estado, beneficia frigoríficos e abatedouros com crédito presumido, ao mesmo tempo em que defende o recebimento de ICMS. Quando a empresa ganha habilitação no Programa desenvolvido pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa), se beneficia com desconto entre 3 e 4 %, enquanto o Estado tem a certeza de receber o imposto devido. De janeiro deste ano até 30 de abril, foram arrecadados R$ 108,5 milhões em ICMS, com a disponibilização de créditos no total de R$ 48,6 milhões. Os valores se referem ao abate de 557.682 bovinos, 4.034 bubalinos e 93.427 ovinos.

Pelo programa, o estabelecimento, ao emitir a Nota Fiscal de venda de animal vivo, paga 8,4% do imposto, ao invés dos 12% pagos pelos não credenciados. Quando vende a carne, paga 3 ou 4 % de ICMS, dependendo do corte, em detrimento dos 7% estipulados.

O Agregar é voltado para abates de bovinos, bubalinos e ovinos e contabiliza, hoje, 89 empresas habilitadas. Na última reunião do conselho, neste mês de maio, as empresas Paulo César Alves Camacho, de Santana do Livramento e Frigorífico Emcasul Indústria e Comércio de Carnes, de Erechim tiveram suas habilitações renovadas. Os frigoríficos Millenium, de Parobé e Frigovale Comércio, Importação e Exportação, de Teutônia receberam aval e foram habilitados no programa

Gostou? Compartilhe