MP de Caxias do Sul evita execução de criminosos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Após seis meses de investigação realizada pelo Ministério Público de Caxias do Sul a Brigada Militar prendeu cinco homens e uma mulher na manhã de sábado, 2, no bairro Reolon, em Caxias do Sul. As prisões foram realizadas para, supostamente, evitar a execução de um dos homens detidos.

Conforme as escutas telefônicas, autorizadas pela Justiça, detectadas pelo Ministério Público, no dia 1º de abril, parte do grupo de presos, uma quadrilha especialmente voltada ao narcotráfico, havia contratado um pistoleiro para executar um dos integrantes da quadrilha rival. Os suspeitos já haviam acertado o pagamento de R$ 3,5 mil pelo assassinato. Após constatar os planos da quadrilha, a promotora de Justiça Silvia Regina Becker Pinto se agilizou e ingressou, no plantão, com os pedidos de busca, apreensão e prisões preventivas, na noite da sexta-feira, 1º. Na manhã seguinte, a Brigada Militar efetuou as prisões e as buscas judicialmente deferidas ao Ministério Público.

O bando começou a ser investigado por suspeita de assassinato há seis meses. Porém, por meio das escutas telefônicas, foi descoberto que a quadrilha mantinha uma rede de tráfico de drogas dentro e de fora da cadeia. Para manter essa rede, o bando cometia assaltos, recepções, extorsões e tentativas de assassinatos de inimigos. “Ao longo das investigações, conseguimos evitar três assassinatos de detentos. Pessoas marcadas para morrer foram alertadas por nós”, afirma a Promotora. Outras medidas estão sendo manejadas nesta semana pela agente ministerial.

MP do Estado

Gostou? Compartilhe