Lucro do Banrisul chega a dos R$ 495,1 milhões nos nove primeiros meses de 2020

O patrimônio líquido do banco atingiu R$ 8,4 bilhões em setembro deste ano

Por
· 1 min de leitura
Valor é inferior ao registrado no mesmo período do ano passado (Foto: Divulgação)Valor é inferior ao registrado no mesmo período do ano passado (Foto: Divulgação)
Valor é inferior ao registrado no mesmo período do ano passado (Foto: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O Banrisul registrou lucro líquido de R$ 495,1 milhões entre janeiro e setembro de 2020, 46% inferior ao lucro líquido ajustado do mesmo período de 2019. O retorno anualizado foi de 8,2% sobre o patrimônio líquido médio. O desempenho no período reflete, especialmente, redução da margem financeira, maior fluxo de despesa de provisão para perdas de crédito, despesas com provisões de perdas em processos trabalhistas, retração das receitas de tarifas e de serviços e redução das despesas administrativas, entre outros fatores.

O patrimônio líquido atingiu R$ 8,4 bilhões em setembro de 2020, aumento de R$ 620 milhões ou 8% em 12 meses. Os ativos totais apresentaram saldo de R$ 90,2 bilhões em setembro de 2020, com crescimento de 11,8% em relação ao registrado em setembro de 2019, ampliação proveniente, especialmente, do crescimento na captação de depósitos.

Os recursos captados e administrados alcançaram saldo de R$ 78,5 bilhões em setembro de 2020, incremento de R$ 8,4 bilhões ou 12% em relação ao mesmo mês de 2019, compostos, principalmente, por depósitos a prazo, de poupança e à vista.


Crédito

A carteira de crédito do Banrisul registrou saldo de R$ 36,3 bilhões em setembro de 2020, expansão de R$ 1,6 bilhão ou 4,6% nos 12 meses. O resultado é em decorrência, especialmente, da carteira comercial, que registrou saldo de R$ 27,5 bilhões, aumento de R$ 1,1 bilhão ou 4,3% em um ano.

Neste período de enfrentamento da crise da pandemia, o Banrisul, como banco público, tem um importante papel na oferta de crédito para pessoa física, principalmente empréstimos consignados, e para microempreendedores individuais e microempresários.

O crédito comercial pessoa física, refletindo a estratégia de negócios da instituição, apresentou crescimento de R$ 906,7 milhões ou 4,4% nos 12 meses, alcançando R$ 21,4 bilhões em setembro de 2020. A evolução foi influenciada especialmente pelo crescimento do saldo das operações de crédito consignado, que alcançaram o montante de R$16,9 bilhões em setembro de 2020, aumento de 8,7% em 12 meses.

As linhas de crédito no âmbito do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe), Programa Emergencial de Acesso ao Crédito (Peac) e Programa Emergencial de Suporte a Empregos (Pese) registraram a concessão de R$ 1,3 bilhão em recursos para 22 mil contratos, dando suporte aos pequenos e médios negócios. Essas linhas contam com garantia parcial do governo federal e condições financeiras mais favoráveis para os tomadores, tendo sido muito importantes para a continuidade dos negócios dos clientes durante a crise da pandemia.

Gostou? Compartilhe