INCÊNDIO NA SSP: dois bombeiros estão desaparecidos

Seguem as buscas pelo 1º Tenente Deroci de Almeida da Costa e o 2º Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós

Por
· 2 min de leitura
A ação conta com 68 militares, em 21 viaturas de combate e duas autoescadas mecânicas (Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratin)A ação conta com 68 militares, em 21 viaturas de combate e duas autoescadas mecânicas (Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratin)
A ação conta com 68 militares, em 21 viaturas de combate e duas autoescadas mecânicas (Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratin)
Você prefere ouvir essa matéria?

A prioridade do Corpo de Bombeiros, que vem atuando desde a noite de ontem (14), no prédio da Secretaria de Segurança Pública, em Porto Alegre, é localizar dois agentes que desapareceram durante o combate às chamas.

A identidade dos desaparecidos foi confirmada pelo corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS). Seguem as buscas pelo oficial de serviço de dia de Porto Alegre, 1º Tenente Deroci de Almeida da Costa, e o 2º Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, servidor do Comando-Geral da Corporação, que deslocou voluntariamente para auxiliar os colegas.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel César Bonfanti, a corporação foi informada do incêndio às 21h30 e os primeiros agentes chegaram ao local cerca de cinco minutos depois, iniciando pelo trabalho de evacuação das pessoas e depois no combate às chamas. Os servidores desaparecidos estavam entre os primeiros a chegarem ao local. "As dificuldades de combate ao fogo foram grandes, uma característica de todos os grandes incêndios, especialmente em prédios altos. Agora, nosso foco é a busca dos nossos dois servidores", afirmou Bonfanti

O Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) foi acionado em torno das 21h40 (Fotos: Felipe Dalla Valle/ Palácio Piratini)

"Todo nosso foco está na busca dos dois servidores desaparecidos, que entraram no prédio justamente para garantir que todas as pessoas saíssem com segurança. Isso só comprova a dedicação e o heroísmo dos nossos agentes da segurança pública. Encontrá-los é a absoluta prioridade das nossas equipes, inclusive dar assistência às famílias dos servidores”, disse o governador Eduardo Leite.

Emergências

Os serviços de emergência ficaram temporariamente indisponíveis devido ao incêndio. No entanto, já foram reestabelecidos e ligações podem ser feitas para o 190, para acionar a Brigada Militar; 193, para os Bombeiros; e 197, para a Polícia Civil.

O Departamento de Comando e Controle Integrado da SSP, responsável pela gestão de atendimento aos telefones de emergência das vinculadas (BM, PC, IGP, CBMRS e DetranRS) e despachos de viaturas, foi mobilizado em caráter provisório para as dependências do 9º Batalhão de Polícia Militar.

O Departamento de Informática da BM viabilizou posições de atendimento centralizadas para todos os telefones de emergência de todos os órgãos vinculados.

Incêndio

Paralelamente às buscas aos agentes e o rescaldo do incêndio, equipes da Secretaria de Obras e Habitação, do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e da Defesa Civil estão fazendo a avaliação técnica e estrutural do prédio.

O governo estadual afirma que o Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do prédio foi aprovado em 6 de junho de 2018 e estava em execução. De acordo com o governador, o governo investiu mais de R$ 1 milhão para aperfeiçoar o plano, incluindo melhorias no sistema hidráulico. O cronograma de trabalho previa seis meses de execução, e estava, atualmente, no segundo mês.

Notícia atualizada às 14h10

Gostou? Compartilhe