Para além dos palcos

Oitava edição da Mostra Sesc de Teatro promove programação descentralizada, levando o contato com o universo teatral até instituições sociais e escolas de bairros periféricos do município

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Oito anos se passaram desde que o setor cultural do Sesc Passo Fundo organizou, pela primeira vez, a Mostra Sesc de Teatro. De lá para cá, muitas histórias foram contadas, inúmeras vezes a cortina foi aberta e, pelo palco, dezenas de atores circularam. Por meio da programação intensa de espetáculos diários, um público fiel formou-se ao ser tocado pela linguagem mágica das artes cênicas em mistura com outros elementos artísticos. As poltronas do teatro, ocupadas desde a primeira edição por tantos olhos atentos e sorrisos admirados, foram a prova necessária de que é possível movimentar uma cidade culturalmente de maneira intensa, seja no interior ou na capital.

 

Agora, em sua oitava edição, que acontece de 2 a 15 de abril, a Mostra Sesc de Teatro quer mais: quer descentralizar-se e sair das paredes do teatro para ir até o público, alcançando grupos periféricos e com poucas oportunidades de contato direto com o universo teatral. Agente de Cultura e Lazer da unidade, Andressa Pagnussat conta que este desejo de levar o teatro até as pessoas, ao invés de apenas esperar que elas venham até o teatro, já é algo antigo. “Nós, enquanto equipe, pensamos que o que importa é termos cada vez mais essa proximidade da cultura para as pessoas. O que a gente quer é que as pessoas recebam teatro das diversas formas, sejam elas vindo até o Sesc ou o Sesc levando para elas”. Por isso, neste ano, além das peças apresentadas no Teatro do Sesc e do tradicional cortejo de rua na Moron, a organização tem trabalhado a programação fortemente junto a escolas de bairros periféricos e outras instituições sociais. A escolha dos lugares teve como critério o posicionamento geográfico, a manifestação de interesse e o fato de muitos deles nunca terem recebido um único espetáculo. Entre as instituições agraciadas com a intervenção cultural, está o Projeto Transformação, que trabalha com filhos de papeleiros; o Lar da Menina, que trabalha com crianças e adolescentes; e o Lar de Idosos Nossa Senhora da Luz. “Assim, a gente trabalha desde crianças de três anos de idade até idosos, com o objetivo de completar um olhar social”, explica.

 

Além da proposta de descentralização, a oitava edição traz outra novidade: a diversidade de gêneros teatrais, destacada por alguns espetáculos em particular, como a atração italiana “A2 Passos”, da Rakurs Teatro, com o gênero da biomecânica teatral; “Bom Apetite”, da Cia Pé de Vento Teatro, de gênero clown; “Imobilhados”, do Grupo Máscaras EnCena, que apresenta o teatro de máscaras; “WhatsApp para Shakespeare”, do Canoas Coletivo de Dança, que traz a dança contemporânea pela primeira vez à Mostra de Teatro; e  “Inevitável Trem”, do Les Vents dês Anges, que tem uma proposta de experiência olfato gastronômica entre público e plateia.

 

História

Em instituições como o Sesc, com unidades espalhadas por todo o país, é comum que a grande maioria dos eventos seja um planejamento que vem como ordem da unidade estadual, por questões hierárquicas. No caso da Mostra Sesc de Teatro, no entanto, a história é um pouco mais especial. Andressa conta que ela surgiu exclusivamente no município, em 2010, por meio de uma percepção da equipe de Cultura do Sesc de Passo Fundo sobre uma demanda de espetáculos e da frequência de público que estava em uma onda crescente. “Notamos que tínhamos um público muito interessado, então pensamos em desenvolver essa atividade como uma forma bem experimental no primeiro ano, para ter uma freqüência sistemática de espetáculos, um após o outro”. O resultado, é claro, foi positivo: desde a primeira edição, o público só fez crescer, demonstrando-se fiel e consolidando a mostra como um importante evento cultural para a região – somente no ano passado, mais de oito mil pessoas participaram das atividades. “É um momento muito especial para todos nós”, ressalta.

 

Naturalmente, a experiência de estar envolvida na produção de um evento tão rico culturalmente deixou marcas especiais na equipe organizadora. Para a agente de Cultura, a troca de experiências com grupos de diversos estados do Brasil tem sido uma das experiências mais marcantes ao longo desses oito anos. Neste ano, o intercâmbio cultural sobe mais um degrau, com a participação de um grupo internacional, vindo da Itália. “Outro momento marcante é a gente perceber essa platéia que acompanha os espetáculos da mostra desde o primeiro ano. Essa platéia consegue ter uma percepção crítica mais apurada. A gente percebe que está desenvolvendo formadores de cultura, pessoas que conseguem entender a cultura e se alimentar do teatro, sendo plateia e desenvolvendo esse senso de conhecimento”, comenta.

 

Para finalizar, Andressa diz que, ao final de cada edição, o principal sentimento é o de gratidão. Gratidão por conseguir trabalhar com cultura; por poder provocar sentimentos bons nas pessoas, de conhecimento e realização; e por proporcionar momentos únicos. “O que é desenvolvido no teatro é aquele momento, algo único, que não vai ser desenvolvido da mesma forma em um momento diferente. É realmente um sentimento de gratidão fazer parte disso”.

 

Primeira semana de programação

 

 

Cortejo – Grupo Timbre de Galo

 

Ao longo de terça (3) e quarta-feira (4), o comércio local e as universidades passo-fundenses recebem intervenções teatrais, com o Grupo Timbre de Galo, como parte da programação de abertura da Mostra.

 

Faixa de Graça – Grupo Ritornelo de Teatro (RS)

 

Nesta terça (3), quarta (4) e quinta-feira (5), às 15h, o Grupo Ritornelo de Teatro apresenta-se em instituições sociais de Passo Fundo. O espetáculo traz os palhaços Canela e Eustáquio, que desgarrados no mundo partem na busca de uma nova terra, caminhando e tombando e tornando a tombar decidem fundar um novo país. Através do olhar ingênuo e transgressor do palhaço, procuram uma nova realidade, onde a alegria, a brincadeira e a felicidade são elementos fundamentais na construção desse novo território

 

Hashtag SE LIGA – Cia Cultura nas Estradas (RS)

 

Nesta terça (3), quarta (4) e quinta-feira (5), às 10h, a Cia Cultura nas Estradas leva um pouco de arte às escolas de Passo Fundo. O espetáculo apresentado aborda a autoexposição na internet. Através de um narrador, duas personagens vivenciam as formas corretas de aproveitar esta importante ferramenta de comunicação, mas também as formas erradas e os perigos que esta prática pode acarretar. Utilizando uma linguagem própria do jovem e música, o espetáculo busca informar e divertir o adolescente.

 

Espetáculo Fulano & Sicrano (Sessão solene de abertura) – Etc. e Tal (RJ)

 

Na sexta-feira (6), às 20h, acontece a sessão solene de abertura no Teatro do Sesc Passo Fundo (Av. Brasil, 30). O espetáculo escolhido para abrir as atividades no palco do teatro da instituição traz para o teatro adulto o humor e a linguagem dos quadrinhos e da animação. Pega o espectador de surpresa, colocando no palco o humor inusitado que é retirado das situações mais banais. Cenas escolhidas do cotidiano e impregnadas de uma linguagem particular, mesclando situações cômicas, gromelô, mímica e a imperdível 'pantomima literária' (narração simultânea a ação em mímica). Os atores se revezam em diferentes fulanos e sicranos, imprimindo na cena a precisão da linguagem gestual em sintonia com a comédia popular. A classificação etária é de 12 anos. Ingressos já estão à venda.

 

A2 Passos – Rakurs Teatro (RS/Itália)

 

No próximo fim de semana, o grupo Rakurs Teatro apresenta a peça A2 Passos em espaços públicos do município. A programação é gratuita e aberta ao público. A primeira apresentação acontece no sábado (7), às 16h30min, no Ginásio do Sesc (Rua Ministro Francisco Brochado da Rocha, 53); a segunda acontece no domingo (8), às 16h30min, no Parque Ambiental da Vergueiro (Rua Homero Leite, 106-124).

 

O espetáculo tem classificação livre e apresenta os afetos e ressentimentos de uma dupla de atores se acirram durante a derradeira apresentação. Sua longa relação, juntamente com uma falha no sistema de abertura da cortina, desencadeia uma série de situações que os coloca diante da iminência do fim. Através de um jogo metalinguístico, “A2 Passos” traz à cena temas como o próprio teatro, o sentido inelutável do fim, da perda; das relações humanas em um território cotidiano transtornado e frágil. As histórias são representadas somente através de movimentos expressivos das pernas e pés dos atores.

 

Ingressos

 

Os ingressos para as apresentações pagas, que acontecem no Teatro do Sesc, já podem ser adquiridos na unidade local do Sesc (Av. Brasil, 30). Recomenda-se a aquisição dos ingressos de maneira antecipada, uma vez que os espetáculos estão sujeitos à lotação máxima do espaço, que é de 346 lugares. Os valores variam entre R$ 12 para a categoria Comércio e Serviços do Cartão Sesc/Senac; R$ 20 para empresários com Cartão Sesc/Senac; e R$ 30 para o público geral.

 

Gostou? Compartilhe