Teclando -06/05/2020

As exceções e os excessos

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

As exceções e os excessos

Na pandemia provocada pelo novo coronavírus, em Passo Fundo a doença evolui a passos largos e atinge a classificação de bandeira vermelha. O recolhimento social é a maior arma para conter o vírus. Então, tudo deve ser feito para que as pessoas não saiam às ruas para evitar a propagação da doença. Significa portas fechadas e ruas vazias. E isso só é possível com algumas exceções para garantir serviços essenciais. Teoricamente seria apenas isso. Porém, não ficamos apenas nisso. O problema não são as exceções. São os excessos decorrentes da falta de civilidade. Observo um forte comportamento antissocial nas ruas de Passo Fundo. As pessoas andam em grupos pela cidade. A pé ou de carro, saem em família e entram em filas até para comprar sorvete. Sentam-se tranquilamente nos bancos públicos, onde esfregam as mãos em espetaculares depósitos de vírus.

Caminhando, correndo ou pedalando, é muita gente nas ruas. Tem espetinho nas madrugadas, baladas camufladas, festas com dezenas de pessoas e muito mais. O movimento, que deveria ser irrisório, é intenso. A maioria procura ir até o limite daquilo que é permitido. Seria a má-influência na conexão Brasília-Passo Fundo? Não há consciência de conduta coletiva. Falta educação e sobra prepotência, pois muitos se acham mais do que os outros. Parece que não estão entendendo a gravidade da situação. Conversei com conceituado professor da medicina, que não escondeu seu pavor diante da doença. Relatou os estragos nos pulmões de sobreviventes, conforme observou em radiografias junto com os residentes. Enfim, a situação é alarmante. Então, não adianta pensar em bandeira laranja e não ter boa conduta durante a vermelha. Isso é caminho certo para a bandeira preta.

Golpistas e terraplanistas

Ao que parece, a gravidade une golpistas e terraplanistas. E não é pela força G e muito menos pelo ponto G (nem imaginam). Esse magnetismo ocorre pela gravidade na maneira como agem. Enquanto para os terraplanistas o objetivo é achatar o planeta, para os golpistas a proposta é achatar a sociedade. Enquanto uma turma pisoteia o globo terrestre, a outra pisoteia a democracia. Também estão afinados no deboche à humanidade. Têm uma visão recíproca em relação à conquista do espaço. Ora, no esplendor da Guerra Fria, a União Soviética largou na frente e Yuri Gagarin foi o primeiro homem a ver a terra do espaço. Disse que era azul e redonda. Isso não vale nem para golpistas e nem para terraplanistas. Afinal, Gagarin era de fato um comunista!

Máscaras

A pandemia de hoje deixará muitas lições para o amanhã. Mas agora já faz importantes revelações. Enquanto colocamos a máscara de proteção, caem máscaras da falsidade que encobrem a má-índole e a falta de caráter. Isso fica nítido em gestos de desobediência civil num momento tão delicado. Para enfrentar um inimigo invisível, a civilidade é fundamental. Mas, no fundo, no fundo, o ser humano é excessivamente apaixonado pelo próprio umbigo.

Da quarentena

Em tempos de redobrada atenção para evitar a contaminação, o mais difícil é acordar e se espreguiçar sem coçar os olhos.

Hashtag

#Fique em casa não é apenas para postar. É para cumprir.

Trilha sonora

Aldir Blanc teve parceria musical com Sílvio da Silva Jr. O resultado foi icônico. MPB-4: Amigo É Pra Essas Coisas

<iframe width="560" height="315" data-src="https://www.youtube.com/embed/TWs2F6TQze0"


Relacionadas

Gostou? Compartilhe