Índices de criminalidade reduzem em cinco anos

A exceção é para roubos a estabelecimentos comerciais que apresentaram crescimento no período

Por
· 4 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Os índices de criminalidade nos 83 municípios de abrangência do CRPO-Planalto reduziram nos últimos cinco anos. A informação foi dada ontem pelo comando da Brigada Militar de Passo Fundo que apresentou o levantamento. A amostragem foi feita pelo comandante do 3° RPMon, tenente coronel Fernando Carlos Bicca e refere-se aos anos de 2007 a 2012. O comandante do CRPO-Planalto, coronel João Darci Gonçalves da Rosa e o secretário municipal de Segurança Pública, Gilmar Teixeira Lopes, também estiveram presentes. 

De um modo geral, os indicativos do crime em Passo Fundo e nos 83 municípios da área do CRPO-Planalto apresentaram redução nos últimos cinco anos, exceto os roubos a estabelecimentos comerciais. Foram analisados os delitos de furto e roubo de veículos, roubo a pedestre, roubo a estabelecimentos comerciais, tráfico e posse de entorpecentes e homicídio e latrocínio.

Roubos e furtos de veículos tiveram redução
Em relação aos roubos e furtos de veículos, que nos últimos anos foram dos crimes que mais preocuparam a população de Passo Fundo, no período entre 2007 e 2012 estes crimes tiveram uma média anual de 522 casos de furto e de 304 de roubo de veículos, sendo que o ano de 2007 registrou os mais altos índices de furtos, com 666 registros e em 2010 o número de roubos foi maior com 391 ocorrências. “Este é um dos indicativos que não nos agrada”, afirmou o comandante do 3° RPMon, apesar da redução dos índices em 2011 e 2012. A média anual da recuperação de veículos é alta, chegando a 75, 02%.

Segundo o levantamento apresentado, quando houve aumento destes índices, ele esteve influenciado com o aumento da frota de veículos em Passo Fundo, que encerrou 2012 com 104.570 veículos emplacados no município. “Isto explica o aumento do número absoluto destes veículos. Comparando 2007 com 2012 foram 32.237 a mais em circulação o que dá um aumento na frota de 46,32%, que é extremamente significativo. O crime segue a lógica do mercado, ou seja, quanto maior é a oferta, maior o consumo. Mas apesar disto os índices dos furtos e roubos não aumentaram na mesma ordem”, analisou o tenente coronel Bicca.

Quando analisados de outra forma, como por exemplo, em número de veículos furtados a cada mil habitantes, é possível perceber uma redução de quase 50% nos furtos de veículos. Desta forma, o indicativo de furto de veículos apontava, em 2007, 9,4 veículos furtados para cada mil habitantes. Em 2012 este índice caiu para 4,8 veículos furtados para cada mil habitantes.

Roubos a estabelecimentos comerciais
De acordo com o comandante do 3° RPMon, a criminalidade é um fenômeno que migra dentro da esfera dos delitos. “Não temos a pretensão de acabar com o crime, temos sim, a pretensão de tornar o crime controlável. Quando atacamos determinado segmento, os criminosos passam a outro. Nós tínhamos em Passo Fundo um aumento vertiginoso dos assaltos aos coletivos urbanos e conseguimos combater. Com isto, os criminosos passaram a visar os estabelecimentos comerciais, mesmo porque há uma grande disseminação de comércio em Passo Fundo, seja na área central ou nos bairros”, disse.

Também conforme Bicca, o índice de furtos na área central da cidade teve uma queda considerável nos últimos anos, muito em função da Bike Patrulha, criada em 2006 e da instalação das câmeras de videomonitoramento. “O sistema de videomonitoramento funciona, e muito bem. Fizemos várias prisões nos últimos dias através dele. Já a Bike Patrulha nos dá uma resposta muito rápida e faz com que o Centro não seja mais uma área atrativa para estes criminosos. Tudo isto nos leva à redução deste tipo de crime”, enfatizou.

Tráfico e posse de entorpecentes
Nos últimos cinco anos, os número de ocorrências relacionadas a tráfico e posse de entorpecentes teve uma crescente entre os anos de 2007 e 2011, período em que subiram de 57 para 168. Com a mudança da legislação que caracteriza a posse de entorpecentes pela quantidade encontrada com a pessoa abordada, os casos são tratados de forma distinta. “Aumentamos a atuação em relação ao tráfico mesmo com esta mudança na legislação. O tráfico de entorpecentes é o grande motor da criminalidade. Muitos destes crimes são praticados por pessoas que querem dinheiro para a obtenção de drogas”, avaliou o tenente coronel.

Homicídios
Na região de abrangência do CRPO-Planalto, em 2012 foram registrados 127 homicídios, sendo 45 deles em Passo Fundo, que vem mantendo a média de 47 em 2010 e 45 também em 2011. Em 2012, os meses de janeiro e setembro foram os que tiveram a mais alta incidência deste tipo de crime, sendo registrados sete assassinatos em cada um deles. “Não estamos satisfeitos com estes índices, mas felizmente não houve o crescimento que esperávamos. É o tipo de crime em que não há como fazer uma previsão de quando e como acontecerá”, ponderou Bicca.
Em Passo Fundo, as vítimas de homicídios em 2012 eram, em sua maioria, homens com idade entre 18 e 27 anos, já com envolvimento em crimes ou com problemas com drogas, sendo este perfil responsável por 82% das vítimas. Além destes também houve casos de crimes passionais, mas a maioria dos crimes desta natureza foi motivada por rixas entre as vítimas e os algozes.

Passo Fundo aparece em 10° lugar no ranking das cidades gaúchas com mais de 100 mil habitantes em número de homicídios registrando uma média de 24,89 homicídios para cada mil habitantes.

Indicativos estáveis apesar do aumento da população
Para o tenente coronel Bicca, o aumento da população de Passo Fundo está ligado ao crescimento dos índices absolutos da criminalidade. “Se nós analisarmos os números absolutos verificaremos um aumento. Mas quando comparamos com a evolução populacional verificamos que, na prática não há um aumento, mas sim a manutenção, a estabilidade dos índices”, declarou.

Gostou? Compartilhe