PRF de Passo Fundo já apreendeu 1,5 mil quilos de maconha em 2020

Investimentos no sistema de inteligência e informação refletem nos índices de apreensão

Por
· 1 min de leitura
Na última quinta-feira foram apreendidos mais de 70 quilos e um kit de submetralhadoraNa última quinta-feira foram apreendidos mais de 70 quilos e um kit de submetralhadora
Na última quinta-feira foram apreendidos mais de 70 quilos e um kit de submetralhadora
Você prefere ouvir essa matéria?

O primeiro semestre de 2020 tem sido marcado pela grande apreensão de drogas que está acontecendo nas rodovias federais do Rio Grande do Sul. A Polícia Rodoviária Federal apreendeu 81 vezes mais cocaína e duas vezes mais maconha no Rio Grande do Sul, comparando os três primeiros meses de 2020 em relação ao mesmo período de 2019.

Os números também se refletem na 8ª Delegacia da PRF de Passo Fundo, que atende a região norte do Rio Grande do Sul, onde em 2020 já foram registradas 13 ocorrências de apreensão de drogas, com 31 pessoas presas. Foram apreendidas 1,5 mil quilos de maconha e 44 quilos de cocaína. Chefe da 8ª Delegacia da Polícia Rodoviária Federal em Passo Fundo, Rodrigo Callegari, comentou que, apesar do aumento de apreensões no município não ter ocorrido nas mesmas proporções de outras regiões do estado, os números vêm crescendo significativamente, inclusive de prisões de traficantes.


A ocorrência mais recente aconteceu no domingo em Erechim, quando foram apreendidos 45 quilos de maconha no fundo falso de uma caminhonete com placas clonadas. Na cidade de Passo Fundo uma das maiores apreensões do ano aconteceu na última quinta-feira, quando foram apreendidos mais de 70 quilos de maconha e um kit para montar uma submetralhadora.

Uma das explicações para esse grande aumento na quantidade de apreensões, segundo o órgão de segurança rodoviária, é o fato de a PRF estar investindo muito em inteligência policial e em sistemas de informação. Em razão disso, aumenta a efetividade de suas abordagens, cada vez mais focadas. Outro fator importante é que as equipes operacionais estão recebendo treinamentos específicos, principalmente para buscas avançadas em veículos.

Mesmo com a redução dos deslocamentos devido ao isolamento social iniciado na metade março, e as atividades da PRF nas campanhas de apoio ao caminhoneiro e nas escoltas de materiais para o combate ao COVID-19, as apreensões não pararam no período.

Gostou? Compartilhe