Triplo homicídio segue sendo mistério após duas semanas

Polícia não revela detalhes das investigações

Por
· 1 min de leitura
Gerson Lopes/ON Gerson Lopes/ON
Gerson Lopes/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Nesta terça-feira (02), completam duas semanas de um crime que tirou a vida de três pessoas da mesma família em Passo Fundo. Desde que o triplo homicídio aconteceu, as duas residências localizadas no mesmo terreno seguem fechadas. Os familiares das vítimas não retornaram mais ao local. Segundo vizinhos, alguns móveis já foram retirados das duas residências por parentes. No endereço moravam oito pessoas da mesma família, sendo que três delas, Ketlin Padia dos Santos, 15 anos, a tia dela, Jennifer Padia dos Santos, 26 anos, e o pai da adolescente, Alessandro dos Santos, de 34 anos, foram encontrados sem vida na noite do último dia 19. 

A Polícia Civil não divulga detalhes sobre a investigação, nem sobre o trabalho que foi realizado nas últimas duas semanas. “Seguimos o curso das investigações, ouvindo testemunhas, e checando algumas denúncias com o objetivo de comprovar a autoria, porém não é possível dar mais detalhes sobre a investigação, já que trata-se de um crime bastante complexo”, comentou a delegada Daniela de Oliveira Minetto, responsável pela investigação. 

Na noite do último dia 19, as três pessoas da mesma família foram mortas por asfixia sem que os autores do crime chamassem a atenção dos vizinhos. Os corpos foram encontrados, depois que uma criança, filho de uma das vítimas, saiu da residência para pedir socorro. Na mesma casa onde o crime aconteceu, estavam três crianças, com idades entre 1 e 6 anos. Aos policiais elas relataram que o crime foi cometido por dois homens, sendo que um deles pediu que as crianças saíssem do cômodo onde os homicídios aconteceram, permanecessem viradas para a parede e com as luzes apagadas. 

Na residência não havia sinais de arrombamento, e segundo familiares das vítimas, aparentemente nada havia sido roubado. 

Gostou? Compartilhe