Mobilização da Lei Seca fiscaliza 3,1 mil veículos em uma noite no RS

No país mais de 137,3 mil condutores já foram abordados

Escrito por
,
em
Fiscalização abordou 3.133 veículos, autuando 208 condutores por dirigir sob efeito de álcool

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A madrugada de sábado (14) para domingo (15) foi de fiscalização intensa nas ruas e rodovias brasileiras, com a edição de julho da Mobilização Nacional da Lei Seca. No Rio Grande do Sul, órgãos de trânsito de municípios que realizam a Balada Segura, Brigada Militar, Polícia Rodoviária Federal e Polícia Civil somaram esforços e abordaram 3.133 veículos, autuando 208 condutores por dirigir sob o efeito de álcool. A mobilização gaúcha também resultou em 145 veículos removidos, 253 documentos irregulares apreendidos e 15 prisões.

 

Efetuada pela primeira vez em setembro de 2017, a Mobilização Nacional da Lei Seca tornou-se permanente no calendário dos órgãos de trânsito brasileiros desde janeiro deste ano. Com edições mensais, a operação integrada prevê realização simultânea de blitze da Lei Seca, com pontos de bloqueio em ruas e avenidas espalhadas em pontos estratégicos de todo o país. A edição do mês de julho foi a oitava e bateu recordes de abordagens (25.706), testes (17.523) e autuações (1.204) por embriaguez ao volante.



No país inteiro, desde a primeira edição, mais de 137,3 mil condutores já foram abordados e 105,2 mil testes de etilômetro aplicados, resultando na autuação de 7,9 mil condutores por dirigir sob influência de álcool (incluindo as recusas), que responderão de acordo com as sanções administrativas. A infração dos artigos 165 e 165-A do Código de Trânsito Brasileiro resulta em multa de R$ 2.934,70 e suspensão do direito de dirigir por um ano, além da retenção do veículo e do documento. Desses, 1,4 mil foram ainda enquadrados por crime e conduzidos a delegacias.

Gostou? Compartilhe