Tribunal do Júri condena PM por matar jovem

Crime ocorreu em março de 2014 e foi motivado por um desentendimento entre dois estudantes

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Após uma extensa sessão do Júri, que durou mais de 16h no Fórum de Passo Fundo, um policial militar da Reserva foi condenado a 17 anos de prisão, pelos crimes de homicídio. Paulo César Maciel de Mello, conhecido como “Zebu”, respondia pela morte do estudante Robson Júnior Mendes de Lima, de 20 anos, ocorrido em março de 2014. Outros dois réus foram absolvidos.

Na época, a vítima estudava na escola Anna Willig, onde teve um desentendimento com outra estudante, de 15 anos. Ele teria dado um tapa no rosto da jovem, que é filha do policial, o que motivou a vingança. Na noite seguinte, Robson desapareceu. Com informação de que o jovem tinha sido obrigado por três homens, a embarcar em um veículo que o aguardava próximo do colégio, familiares do jovem começaram as buscas.

Quatro dias depois, o corpo foi encontrado em uma valeta, na localidade de Lagoa Bonita, entre Passo Fundo e Pontão. O cadáver apresentava sete perfurações causadas por tiro, uma delas na cabeça. A investigação foi realizada pela equipe da Delegacia de Proteção à Pessoa e ao Adolescente e, após meses de intenso trabalho, concluiu o envolvimento não, só de Zebu, como de outros dois homens, um deles já com passagens pela polícia. Todos foram indiciados.

Com início às 09h30 de sexta-feira (27), o Júri foi concluído pouco antes das 03h deste sábado (28). Após determinada sentença, o condenado foi recolhido à cela do Quartel da Brigada Militar em Porto Alegre, onde já estava preso, pelo mesmo motivo.

Gostou? Compartilhe