Sequência de homicídios preocupa a BM de Erechim

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O grande número de homicídios em poucos dias fez com que a Brigada Militar de Erechim desencadeasse ações específicas de combate a este crime. Na última semana, entre a segunda-feira (29), e o sábado (4), foram registrados quatro homicídios na cidade. 

O primeiro aconteceu em um motel da cidade, quando um morador de Mato Castelhano foi esfaqueado por uma travesti. Na quarta-feira (1), foram registrados dois homicídios, um pela manhã, na Vila Souza, onde um homem foi atingido por três disparos de arma de fogo quando andava pela rua. E outro, no começo da noite, no bairro São Vicente de Paulo, quando três homens invadiram uma casa e realizaram diversos disparos de  revolver contra um homem. O quatro crime aconteceu sábado (4), no bairro José Bonifácio, quando um homem foi agredido com golpes de faca durante uma discussão na calçada. 

O comando do 13º BPM divulgou um comunicado, informando que a partir desta semana irá aumentar o número de operações de desarmamento, abordagens, identificação de pessoas e veículos, em Erechim. Também irá desenvolver “ações de saturação e congelamento de área, através do reforço no policiamento ordinário normal, bem como, através de manobras da Força Tática, visando coibir crimes de homicídio”.

Na nota, o comando informa que “a agência de inteligência do 13° BPM, além de dar o suporte ao efetivo ostensivo do Batalhão, está fazendo grande esforço, no sentido de auxiliar, no que couber, o relevante trabalho da Polícia Civil na elucidação dos crimes, medidas que direta e indiretamente, podem contribuir para inibir novos delitos contra a vida”.

A medida visa o trabalho preventivo de crimes desta natureza. O comunicado ainda destaca a importância da participação da população no combate a este tipo de crime, e pede que a população denuncie situações de ameaças, atritos ou pessoas portando armas. 

Gostou? Compartilhe