Corpo é encontrado em decomposição no local do cerco

Polícia acredita que se trate do 6º suspeito do assalto a banco em Porto Xavier; com o corpo foi encontrado dinheiro, um fuzil e dois revólveres calibre 38

Por
· 1 min de leitura
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O corpo de um homem foi encontrado na manhã de ontem (7) entre Campina das Missões e Porto Lucena, área em que a polícia manteve um cerco durante 10 dias em busca dos assaltantes da agência do Banco do Brasil de Porto Xavier, com uma mochila com grande quantia em dinheiro, um fuzil e dois revólveres calibre 38. A suspeita da polícia é que se trate de Ezequiel David Trindade, 6º suspeito do crime e possível autor do disparo que matou o soldado da Brigada Militar, Fabiano Heck Lunkes. 

 

Devido ao estado avançado de decomposição do corpo, não foi possível identificar se era Ezequiel David Trindade, nem as causas da morte. Foi solicitado perícia.


Trindade, natural de Erechim e morador de Passo Fundo, tem 30 anos e é um dos três presos que escapou pelo teto do Presídio Estadual de Cruz Alta, em fevereiro deste ano.


Conforme o delegado Heleno dos Santos, da Delegacia de Polícia de Porto Xavier e responsável pela investigação do caso, ele seria o autor do disparo que matou o soldado da Brigada Militar, Fabiano Heck Lunkes.


Santos ressaltou que o suspeito possui antecedentes criminais por roubo a banco e é apontado como um dos maiores assaltantes de banco do Estado, na modalidade “novo cangaço”.


Além de Trindade, permanece desaparecido Luciano Aguilar de Mattos, conhecido como Lucianinho, de 43 anos. Natural de Porto Lucena e morador da Região Metropolitana de Porto Alegre, Lucianinho tem envolvimento em vários roubos a bancos no Rio Grande do Sul, de acordo com a Polícia Civil. Por ter conhecimento da região Noroeste, teria facilitado a ação do grupo. 


“Temos mandado de prisão preventiva para os dois. Como são criminosos contumazes, a localização deles será difícil. Mas a polícia não medirá esforços para que a prisão aconteça” destacou o delegado Santos.


Fotos dos dois foram divulgadas na segunda-feira (6) pela Polícia Civil, que pede que a comunidade entre em contato caso tenha informações.
Outros quatro suspeitos já foram presos e um quinto morreu em confronto com a polícia no domingo, dia 28 de abril.

Gostou? Compartilhe