Governador manifesta solidariedade às famílias de PMs mortos por criminosos

Policiais Marcelo Feijó e Rodrigo Seixas foram mortos em confronto com criminosos na noite de quarta-feira

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O governador Eduardo Leite e o vice-governador e secretário da Segurança Pública do Estado, Ranolfo Vieira Júnior, lamentaram a morte dos policiais militares Rodrigo da Silva Seixas, 32 anos, e Marcelo de Fraga Feijó, 30 anos, na noite desta quarta-feira (26/6), e manifestaram solidariedade às famílias, amigos e à corporação.

 

Os soldados da Brigada Militar, que atuavam no 19º Batalhão de Polícia Militar, foram atingidos em confronto com criminosos em um beco da Rua Paulino Azurenha, no bairro Partenon, na capital. Eles foram até o local para uma abordagem de rotina, quando foram recebidos a tiros. Dois criminosos envolvidos no confronto, pai e filho, foram identificados na mesma noite. Um morreu na troca de tiros e o outro foi preso. Dois revólveres calibre 38 localizados com os criminosos foram apreendidos.

 

O governador Eduardo Leite disse ter recebido com grande tristeza a notícia da morte dos policiais. “Foram ao extremo na missão de proteger a sociedade com o emprego da própria vida. Meu abraço e solidariedade a suas famílias, seus amigos e a toda a família brigadiana”.

 

Seixas estava desde outubro de 2009 na Brigada Militar, era casado e pai de uma menina de três anos. Feijó ingressou na corporação em setembro de 2012, também era casado e pai de um menino de dois anos.

 

O vice-governador também se manifestou em relação à perda dos servidores que cumpriam com bravura sua missão. "Não mediremos esforços para responsabilizar os culpados pelo fato. Seguiremos trabalhando firme no enfrentamento à criminalidade", afirmou Ranolfo.

Gostou? Compartilhe