Nei Machado obtém progressão de regime e deixa a Pasc

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Passo-fundense Nei Machado, apontado como braço direito do traficante Fernandinho Beira- Mar, obteve progressão de regime e deixou a Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (PASC), na sexta-feira passada. Preso desde 2010, ele passa a cumprir a pena em regime semi-aberto com uso de tornozeleira eletrônica.


A pena é referente a condenação da operaçao Giguaçu (Grande Machado, em tupi-guarani), desencadeada pela Polícia Federal de Passo Fundo. As investigações apuraram que Machado comandava, do interior da Pasc, uma quadrilha que trazia maconha e cocaína do Paraguai para serem distribuídas em vários municípios do Rio Grande do Sul.

 

Ex-patrão de um CTG de Passo Fundo, Pitoco, como é conhecido, chegou a ser a apontado como um dos maiores traficantes do Rio Grande do Sul. Em 2001 ele foi preso na Colômbia, em território das Farcs, junto com o traficante carioca Fernandinho Beira-Mar. Em 2005, acabou sendo extraditado para o Brasil e recolhido na Pasc.


Após cumprir uma pena de 10 anos e sete meses, Nei chegou a ser posto em liberdade. A decisão foi um erro do judiciário que não observou que ele tinha outra condenação de 14 anos, por tráfico, na Justiça de Palmeira das Missões. Quatro dias depois, acabou preso novamente, na saída do forum de Porto Alegre. Essa sentença foi anulada e o recurso segue tramitando em Brasília.

Gostou? Compartilhe