Professor preso por estupro já havia sido diretor de escola, segundo delegado

De acordo com denúncias, primeiro caso aconteceu em 2012; ele foi levado ao presídio de Guaporé

Por
· 1 min de leitura
Acusado foi conduzido ao presídio de Guaporé

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Um professor de Matemática de 28 anos foi preso na tarde desta quarta-feira (25) acusado de estuprar alunas de uma escola pública no município de David Canabarro. O mandado de prisão preventiva, expedido pelo município de Casca, foi cumprido com apoio da Delegacia de Proteção à Criança de Passo Fundo (DPCA) com base em 20 inquéritos. 


Segundo o delegado Mario Pezzi, a Polícia Civil tomou conhecimento do caso em março deste ano, quando uma vítima buscou a Delegacia. Após ela, outras alunas também relataram os assédios do professor. O caso mais antigo, de acordo com as denúncias, aconteceu em 2012.
Até o momento a polícia tem contabilizado 20 vítimas, que na época dos abusos tinham idades entre 12 e 16 anos, mas acredita-se que possam ser mais. Conforme o delegado, o homem se valia da condição de professor para assediar as alunas.


As práticas envolviam passar a mão no corpo das adolescentes ou pressioná-las com seu corpo.


Ele também foi diretor da escola, mas o delegado não informou em qual período. Conforme Pezzi, a prisão preventiva foi expedida porque ele foi à casa de uma das alunas denunciantes ludibriá-la para que retirasse a queixa.


Ele foi conduzido ao presídio de Guaporé. O crime é inafiançável.


A reportagem entrou em contato com a 7ª Coordenadora Regional de Educação (7ª CRE) que disse fazer o levantamento do professor. Ela deve se pronunciar pela Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul na quinta-feira (26).

Gostou? Compartilhe