MP denuncia por Latrocínio e Roubo Majorado o trio que matou empresária em Ametista do Sul

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ONDivulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Ministério Público ofereceu denúncia contra três pessoas responsáveis pelo assalto a uma joalheria em Ametista do Sul em 2 de julho deste ano. Danilo Pereira, 23 anos, Evandro Lazarotto Dutra, 22 anos, e Vagner de Souza Lima, 29 anos, vão responder na Justiça por latrocínio com agravantes de ter sido cometido entre duas ou mais pessoas e com emprego de arma de fogo. Também foram denunciados por roubo com agravante de ter sido cometido com emprego de arma de fogo. A ação resultou na morte de Inês Ribeiro de Gregori, 51 anos.

Conforme o promotor de Justiça Valmor Júnior Cella Piazza, o trio entrou no estabelecimento localizado na Avenida Brasil, Centro de Ametista do Sul, e “mediante violência e grave ameaça, exercida com o emprego e disparo de arma de fogo, subtraíram para si, bens e joias pertencentes a Inês Ribeiro de Gregori, vítima fatal e proprietária do estabelecimento”. Eles ordenaram que a empresária e uma funcionária se dirigissem para os fundos e abrissem o cofre. Enquanto Danilo colocava os objetos em uma bolsa, Evandro permanecia com o revólver apontado para as vítimas - especialmente em direção à cabeça de Inês -, exigindo que abrisse o cofre. Mesmo tendo a empresária obedecido, ele efetuou disparo que atingiu o pescoço dela, causando o ferimento que lhe custou a vida. Antes de fugir, o trio roubou o celular da funcionária.

Durante as buscas, Danilo foi capturado nas proximidades de Linha Alta, interior de Ametista do Sul, onde também estava o veículo utilizado na fuga, incinerado. As joias foram localizadas em uma sacola escondida em um roupeiro na residência da mãe de Vagner. Elas foram avaliadas em R$ 37.410,00. Para o promotor, Vagner atuou no planejamento, na organização e na logística do crime. Os três estão recolhidos no Presídio Estadual de Frederico Westphalen.

Gostou? Compartilhe