Pequenas facções comandam o tráfico de drogas em Passo Fundo

Descoberta de planos para execução de dois integrantes de grupos rivais em Carazinho resultou em prisões

Por
· 2 min de leitura
Arquivo/ONArquivo/ON
Arquivo/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A descoberta de um plano para cometer dois homicídios, na cidade de Carazinho, foi o fio de meada para uma invetigação que resultou na prisão de integrantes de uma facção criminosa com atuação no tráfico de drogas em Passo Fundo. 

Durante a Operação Peralta, desencadeada na terça-feira (11), a Polícia Civil cumpriu seis mandados de busca e apreensão. Dois homens acabram presos por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo, nas cidades de Passo Fundo e Soledade. Durante as buscas ainda foi apreendido um adolescente por tráfico de drogas. Em outro endereço, os policiais encontraram porções de maconha, 30 munições calibres 38 e 22.

Investigações 

Segundo o delegado Diogo Ferreira, responsável pela DRACO de Passo Fundo, a investigação da facção iniciou no mês de maio, quando os policiais receberam a informação de que indivíduos de Passo Fundo estariam planejando o assassinato de duas pessoas em Carazinho, consideradas rivais no tráfico. Com base nesses primeiros dados, foi possível traçar a forma de atuação do bando. 

À época, o líder, mesmo preso  em Soledade, comandava a ação de outros sete suspeitos em Passo Fundo. “Os investigados faziam a movimentação do tráfico para esse detento. Ele determinava quem recebia a droga na cidade, quem distribuía, e quem seria responsável pela venda. Este detento tinha mandado matar dois integrantes de uma facção rival em Carazinho”, disse Diogo. 

Durante a investigação este detento fugiu do presídio de Soledade, e dias depois foi preso pela Polícia Rodoviária Federal em Almirante Tamandaré do Sul, quando planejava outros crime. Atualmente ele está preso no presídio de Sarandi”, explicou o delegado.

Com a ação integrada dos policiais civis e militares de Passo Fundo e Carazinho, os crimes de homicídio não aconteceram. 

Comando em Passo Fundo 

O delegado Diogo esclareceu que na cidade não há uma facção que domina o tráfico de drogas. Este crime acontece por meio de pequenos grupos que se auto-denominam de “facções”. A facção desmantelada na última semana, é composta por nove integrantes. “Dois deles foram presos preventivamente nesta semana. Outros dois foram presos há aproximadamente 60 dias pela PRF na BR 285, em Lagoa Vermelha, flagrados transportando 50 quilos de maconha. Além desses, há quatro investigados que estão soltos, e mais um foragido por outros crimes”, explicou o delegado. 

Um único intermediador

Todas as facções que atuam no tráfico de drogas em Passo Fundo tem um único traficante como intermediador para envio da droga. “Atualmente ele é considerado foragido, e a nossa investigação aponta que vive na região da fronteira do Brasil, no estado do Paraná”, disse o delegado. “Ele faz a intermediação da aquisição da droga para diversas facções de Passo Fundo. Ele esteve preso entre o final de 2018 e começo de 2019, mas foi solto e sumiu de Passo Fundo. Há aproximadamente 10 meses, é considerado foragido” comentou Diogo. 

O delegado esclarece que o modo de ação é sempre o mesmo. As facções roubam veículos e enviam para a fronteira, um ou dois automóveis ficam para o intermediador do negócio, e o outro rertona para Passo Fundo transportando a droga. 


Gostou? Compartilhe