CASO KISS: A pedido do MP, Tribunal de Justiça decide que Luciano Bonilha Leão será julgado em Porto Alegre

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/MPDivulgação/MP
Divulgação/MP

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Acolhendo pedido do Ministério Público, o Tribunal de Justiça decidiu nesta quinta-feira, 10 de setembro, que o réu Luciano Bonilha Leão será julgado em Porto Alegre. O assistente de palco da banda Gurizada Fandangueira é um dos quatro réus que respondem pelo incêndio da Boate Kiss, em Santa Maria, no dia 27 de janeiro 2013, e o único a não pedir o desaforamento.

Os promotores de Justiça designados para o júri do Caso Kiss, Lúcia Helena Callegari e David Medina da Silva, comemoraram a decisão. “A Justiça teve sensibilidade e entendeu que é importante que todos os acusados sejam julgados juntos para evitar maior sofrimento das vítimas e de seus familiares”, disse Lúcia Helena Callegari.

David Medina da Silva complementou: “Além de aumentar a angústia das vítimas e familiares, julgar os réus separadamente seria ruim para a Justiça, que teria que fazer vários julgamentos complexos em vez de apenas um; e ruim para a sociedade, que pagaria mais caro por isso”.

Marcelo de Jesus, Mauro Hoffmann e Elissandro Spohr tiveram deferidos pela Primeira Câmara Criminal os pedidos de desaforamento para Porto Alegre, alegando o risco de parcialidade dos jurados caso fossem submetidos a julgamento em Santa Maria. O MP se manifestou contrariamente. Porém, diante da decisão judicial que impossibilitou reunir todos os réus em um mesmo júri na cidade do fato, pediu ao TJRS que o último acusado também tivesse seu julgamento transferido para Porto Alegre, tendo o pedido acolhido nesta quinta-feira.

Gostou? Compartilhe