Delegada persegue e prende criminoso em Passo Fundo

Carolina Goulart realizou prisão no intervalo do trabalho. Vídeos da ação foram publicados nas redes sociais

Por
· 2 min de leitura
Delegada teve ajuda de um sargento aposentado da BMDelegada teve ajuda de um sargento aposentado da BM
Delegada teve ajuda de um sargento aposentado da BM

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A delegada Carolina Goulart, da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Passo Fundo, dirigia seu carro pela Rua Independência, no centro da cidade, por volta das 16h15, de terça-feira (6). Ela estava no intervalo do trabalho. Quando fazia a conversão para entrar na Fagundes dos Reis, Carolina viu um homem que descia correndo a rua, em atitude suspeita, em direção à Vila Cruzeiro.

Ela decidiu abordar o indivíduo e iniciou o acompanhamento de carro. Na Rua General Osório, ainda no Centro, ela iniciou a abordagem pessoal ao homem. Antes disso, Carolina alertou a filha, que também estava no veículo. “Falei que ia abordar o individuo. Orientei ela a sair do carro, ficar longe da abordagem e ligar para a Brigada Militar.”

Foi o que a filha fez. Carolina, que estava armada, conseguiu alcançar o suspeito. Pouco tempo antes de ser preso, o homem dipensou uma faca que trazia consigo e jogou um telefone celular embaixo de um carro. O aparelho havia sido roubado minutos antes, na Fagundes dos Reis, de um estudante de música da UPF, de 18 anos. Para prender o assaltante, Carolina foi ajudada por um sargento aposentado da BM, identificado como Clairton, que passava pela rua. A vítima chegou ao local logo depois e reconheceu o criminoso.

Diversas pessoas assistiram à abordagem, mas não ajudaram a delegada. Em seguida, policiais da Bike Patrulha da BM colaboraram com a prisão. Algumas testemunhas filmaram a prisão e os vídeos foram publicados nas redes sociais. A delegada recebeu diversos elogios pela ação. “Foi meu instinto de policial. O sangue ferveu”, disse ela. “A gente faz por amor à polícia, pela comunidade. Fico feliz de verdade.”

Outros comentários, no entanto, apontam um possível excesso por parte da delegada durante a ação. Ela afirma que isso não é verdade. “O palavreado que a gente usa com o bandido tem que ser do mesmo nível dele ou não somos respeitados”, explica ela. “Eu não posso abordar um indivíduo e falar ‘senhor, por favor, pare, que aqui é a polícia’. Assim ele não me respeita, ainda mais porque sou mulher e estava sozinha.”

Carolina afirma que fez o que podia dentro das circunstâncias, e que não mudaria em nada a abordagem. “A única coisa que talvez eu teria que ter controlado é a minha adrenalina diante de toda a situação de stress que vivi.” Um dos vídeos mostra que, durante a prisão, a delegada dá um tapa no criminoso que já estava imobilizado. Isso ocorreu, segundo ela, pela situação de “stress da abordagem e da provocação do bandido”. “O meu erro talvez foi ter dado um tapa num indivíduo que estava debochando da minha cara”, explica.

A delegada enfatiza que o preso não sofreu nenhum tipo de agressão fora o tapa que é possível ver no vídeo. “As críticas de pessoas que não trabalham na área são só para denegrir a imagem dos policiais e desmerecer o trabalho. O que fiz foi com intuito de beneficiar a sociedade e trazer de volta para a vítima o patrimônio que foi subtraído por um meliante”, conclui Carolina

O assaltante, de 26 anos, tem diversos antecedentes criminais por roubos. Ele foi preso em flagrante pela delegada, depois foi levado à delegacia e recolhido ao Presídio Regional de Passo Fundo.

Gostou? Compartilhe