CASO PAULA PERIN: Policia prende mais um suspeito do assassinato

Ele foi preso em uma casa noturna de alto padrão em Balneário Camboriú, na madrugada desta segunda-feira (4)

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Foi preso na madrugada de segunda-feira (4), em Santa Catarina, mais um dos acusados de participação do assassinato de Paula Chaiane Perin Portes, de 18 anos, em Soledade, ocorrido em junho de 2020. Dos cinco denunciados pelo Ministério Público, três estavam presos, um está respondendo em liberdade, e um estava foragido até a madrugada de ontem.

Segundo a delegada Fabiane Bittencourt, a Polícia Civil de Soledade recebeu a denúncia de que o foragido estava em uma casa noturna de Balneário Camboriú. Os policiais acionaram o setor de inteligência da PC, em Porto Alegre, que entrou em contado com policiais catarinenses. “Diversas viaturas foram até o local para efetuar a prisão, visto que a casa noturna é bastante conhecida e estava com muitas pessoas no local”, explicou ela.

Junto com o acusado, estavam outros dois jovem, ambos moradores de Soledade, e com passagens pela Justiça. Conforme a delegada, eles deverão responder criminalmente pois sabiam que o acusado era um foragido da Justiça e colaboraram para que ele se mantivesse nesta condição.

A delegada não detalhou como aconteceu a denúncia que levou a prisão deste suspeito. Porém, destacou que por diversas vezes houve situações onde ele esteve próximo de ser capturado pelos policiais, mas a prisão não se concretizou. Para a delegada, as festas de final de ano fizeram com acusado ficasse mais exposto, e esta foi a oportunidade para a prisão.

Agora, os policiais devem iniciar uma investigação que deve apontar como ele conseguiu manter um alto padrão de vida no período em que estava foragido. A suspeita dos policiais é que ele tenha se mantido na atividade do tráfico em Santa Catarina. “Ele foi encontrado em uma casa noturna frequentada por pessoas de um alto poder aquisitivo, e agora nós vamos investigar como ele estava mantendo este padrão de vida, a suspeita é que ele estivesse trabalhando para o tráfico de drogas em Santa Catarina e isso será investigado”, disse a delegada.

O jovem preso em Santa Catarina é apontado como um dos principais executores do crime. A investigação indica que ele atraiu a Paula até o local de sua morte e foi uma das pessoas que aplicou golpes conhecidos como “mata-leão”, que causaram o óbito da jovem. Ele também é suspeito de participação na ocultação do cadáver da jovem.


O crime


Conforme a denúncia do Ministério Público, na noite do dia 10 de junho de 2020, o jovem preso em Santa Catarina atraiu Paula Chaiane Perin Portes, de 18 anos, para um imóvel localizado no bairro Fontes, em Soledade. Lá, junto com outros três comparsas, mataram a jovem por asfixia. Em seguida, carregaram Paula até um veículo que foi estacionado por um dos acusados em frente ao local e a levaram até uma propriedade rural pertencente à família de outro dos denunciados, onde o corpo foi ocultado. O local era de difícil acesso e foi coberto com terra, galhos e plantas. A grande repercussão do desaparecimento, e temendo que a polícia chegasse até o corpo da jovem, fez com que dois dos denunciados retirassem o corpo do local, levando-o até outra propriedade rural, na localidade Rincão do Bugre, interior de Soledade. O cadáver foi encontrado somente em 16 de agosto, mais de dois meses depois do homicídio.

Segundo a denúncia do Ministério Público, Paula foi morta por motivo torpe, caracterizado por desejo de vingança nutrido por um dos denunciados por ela ter presenciado cenas de agressão praticadas por ele contra sua ex-companheira e também para que não contasse sobre o envolvimento dos denunciados com o crime organizado, tráfico de drogas e cargas ilegais de cigarros. 

Gostou? Compartilhe