Operação Forças Integradas intensifica o enfrentamento à crimes contra a vida

Quase 30 mil pessoas foram abordadas em um mês de atuação da operação

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/BMDivulgação/BM
Divulgação/BM
Você prefere ouvir essa matéria?

A Operação Forças Integradas, iniciada em 14 de julho, intensificou a presença policial preventiva, repressiva e investigativa em bairros de Caxias do Sul, Passo Fundo, Porto Alegre e pontos da Região Metropolitana, a partir da estratégia de foco territorial do Programa RS Seguro. No período, foram identificadas e abordadas 29.944 pessoas. Somados os foragidos, flagrantes e termos circunstanciados, 376 suspeitos foram presos. A ofensiva concentra esforços da Brigada Militar (BM) e Polícia Civil (PC), com apoio da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).

A ação tem como principal finalidade aprofundar a redução nos indicadores de criminalidade já consolidada ao longo dos últimos dois anos, sobretudo os Crimes Violentos Letais Intencionais (homicídios, latrocínios e feminicídios). A Operação Forças Integradas empregou, em média, 280 agentes da Segurança Pública e 70 viaturas por dia. Com as ações desenvolvidas, foi possível reverter os dados que, até a metade do mês de julho, indicavam alta nos homicídios em comparação com o mesmo período de 2020. A redução nos indicadores é resultado direto da intervenção das forças de segurança a partir da metodologia de monitoramento da GESeg implantada pelo RS Seguro.

A ofensiva tem atuação de policiais militares de quatro Batalhões de Polícia de Choque (1º BPChq – Porto Alegre, 2º BPChq – Passo Fundo, 3º BPChq – Santa Maria e 4º BPChq – Caxias do Sul), das Forças Táticas das unidades operacionais, com responsabilidade territorial nas cidades alvo, além de efetivos dos Comandos de Policiamento da Capital (CPC) e Metropolitano (CPM), da Serra e do Planalto. A ação ainda conta com apoio de integrantes do 6º BPChq, de Uruguaiana. Esta iniciativa é a primeira atividade após o treinamento recentemente concluído e que permitirá a instalação da nova unidade na Fronteira Oeste, que será inaugurada na próxima quinta-feira (19/08). Também participam alunos-soldados, que serão empregados em estágio operacional, nos finais de semana, em pontos de visibilidade.

A Polícia Civil participa com a troca de dados de inteligência e em ações conjuntas para cumprimento de mandados de busca e apreensão, de prisão, além de fiscalização de estabelecimentos e veículos. As ações contam com equipes volantes do Departamento Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), além de reforço em plantões nos municípios envolvidos para recebimento e registro de eventuais flagrantes e ocorrências.

Durante a operação 11.433 veículos foram fiscalizados e 232 foram autuados por irregularidades. Foram apreendidas 70 armas, 1.600 munições, 168 quilos de drogas e aproximadamente R$50 mil sem procedência.

A estratégia da operação é intensificar a integração entre as forças de segurança na aplicação prática de recursos policiais, dentro do planejamento do Programa RS Seguro. A partir do monitoramento permanente realizado pela Gestão de Estatística em Segurança (GESeg) em 23 municípios priorizados, identificou-se a necessidade de ampliar temporariamente os esforços em alguns bairros de Caxias, da Capital e de Passo Fundo, para frear a ocorrência de crimes contra a vida, com concentração verificada nesses locais na primeira metade de julho.


Com essa análise estatística, os órgãos conseguem aumentar a eficiência do trabalho de policiamento, nos horários e locais onde há maior vulnerabilidade, bem como a busca por informações que qualifiquem as investigações em curso.

A ação conjunta obedece os protocolos de prevenção contra a Covid-19, com observação das normas de distanciamento, disponibilização de álcool em gel e uso obrigatório de máscaras. 

Gostou? Compartilhe