Projeto de Lasier consagra a prisão em segunda instância no CPP

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

 O senador Lasier Martins (PSD-RS) protocolou hoje (10) na Mesa Diretora do Senado projeto de lei que muda trechos do Código de Processo Penal (CPP) para disciplinar a prisão após a condenação em segunda instância, colocando um ponto final na controvérsia sob análise pelo Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Pela proposta, o réu poderá ser preso logo após sua culpa ser confirmada em segundo grau. Mas destaca que ninguém será tratado como culpado até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória, dialogando com a cláusula pétrea da Constituição na mesma direção. O entendimento é que, ainda que sujeita a recurso especial ou extraordinário, a prisão em segunda instância não viola o princípio constitucional da presunção de inocência.
 
Segundo a justificativa do senador, a atual redação do artigo 283 do CPP tem permitido a interpretação de que a prisão só poderia ocorrer após o trânsito em julgado da sentença penal condenatória. Mas o próprio Supremo Tribunal Federal já decidiu pela possibilidade da execução da pena após esgotadas a primeira e a segunda instâncias, nas quais se exaurem a produção de provas e a verificação da autoria e materialidade do crime.
 
Lasier argumenta que o sistema processual penal brasileiro permite ao réu continuar recorrendo contra sucessivas decisões condenatórias por anos, impedindo o trânsito em julgado e favorecendo a prescrição penal, quando então o criminoso, ainda que provada a autoria e a materialidade de seu delito, deixa de cumprir a pena devida. “Essa proposta atende aos anseios da maioria da população por efetividade da Justiça e contra a impunidade”.

Gostou? Compartilhe