Temer, Maia e Eunício pedem que caminhoneiros voltem ao trabalho

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidentes da República, Michel Temer, da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), divulgaram nota conjunta em que conclamam os caminhoneiros a voltarem ao trabalho. A nota foi divulgada na tarde desta terça-feira (30) pela assessoria do Palácio do Planalto.

 

“Em face do acordo firmado para pôr fim à greve dos caminhoneiros, que tiveram as suas reivindicações acolhidas, os presidentes da República, Michel Temer, do Senado Federal, Eunício Oliveira, e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, conclamam todos os envolvidos nas manifestações a retornarem ao trabalho e propiciar normalidade à vida de todos os brasileiros”, diz a nota.

 

Na última quinta-feira (24) o governo fechou acordo com parte das entidades representantes dos caminhoneiros. Foram acordados 12 itens, entre eles a redução do preço do diesel em 10% nas refinarias por 30 dias. Mesmo após esse acordo, os caminhoneiros continuaram a paralisação. No último domingo (27), Temer voltou a negociar com a categoria e acertou uma queda de R$ 0,46 no valor do combustível nas bombas por 60 dias.

 

O acordo firmado no domingo, e anunciado por Temer em um pronunciamento no mesmo dia, também estabelece o fim da cobrança de pedágio para caminhões que trafegarem com eixo suspenso em todo território nacional. Mas uma das principais reivindicações da categoria é a isenção do PIS/Cofins sobre o óleo diesel, que ainda segue em discussão no Congresso.

 

A nota afirma que Executivo e Legislativo se comprometem a “aprovar e colocar em prática, no menor tempo possível, todos os itens do acordo”.

 

Temer, Eunício e Maia também falam na “necessidade de abastecer todos os setores da economia” e pedem que a manifestação não adote tom político. “Importante ainda evitar que, tendo alcançado seus objetivos, esse movimento venha a ser usado com objetivos políticos. Temos certeza de que o desejo de toda família brasileira é garantir a normalidade do abastecimento e assegurar a retomada da economia”.

Gostou? Compartilhe