Denominação de creche gera polemica na Câmara

A Uampaf debateu o assunto no último final de semana e um grupo de presidentes de associações se organizaram para apoiar a líder comunitária.

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O projeto do vereador Paulo Pontual, PP, que denomina a Escola de Ensino Infantil do Menino Deus de Professor Luis Henrique Schutz da Silva “Bandana” gerou polemica pela posição da Presidente da Associação de Moradores daquela comunidade, Lucelena Vilella. Ela defende que o nome da escola é Menino Deus e que o Vereador não ouviu a comunidade, alegando inclusive que as assinaturas são de pessoas que não moram no local. A Uampaf debateu o assunto no último final de semana e um grupo de presidentes de associações se organizaram para apoiar a líder comunitária.

Para o autor do projeto o Professor Bandana trabalhou pelo Menino Deus e pelos jovens de muitas comunidades de Passo Fundo, dando aulas de capoeira gratuitamente e também se dedicando pela arte e cultura do município sendo um dos fundadores Cia da Cidade (grupo de teatro). No projeto a manifestação de várias entidades sobre o trabalho voluntário do homenageado e inclusive da escola municipal Notre Dame que fica localizada no Menino Deus. Para Paulo Pontual que mostra 231 assinaturas do Menino Deus e de mais 400 assinaturas de pessoas da cidade que apóiam a homenagem é o resgate do trabalho de uma pessoa jovem que fez muito pelo seu povo.

O pai do homenageado, Lider Comunitário Jorge Luiz da Silva que foi Presidente da Associação da Santa Marta e fundador da Associação de Moradores do Menino Deus destaca que houve sim manifestação da comunidade e que seu filho sempre foi um exemplo para as centenas de jovens que foram atendidos por ele de forma gratuita.

O projeto foi enviado para a Cebes com a concordância do autor para que se faça o debate com a comunidade e inclusive a realização de uma audiência pública. Tumelero, presidente da Uampaf diz que é importante este debate, pois não concorda com a forma como foi apresentado o projeto sem ouvir a associação de moradores, destacando porem que o homenageado fazia trabalho voluntário na sede da associação da Berthier.

 

Gostou? Compartilhe