Movimento Passe Livre anuncia que não convocará mais protestos em São Paulo

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os militantes do Movimento Passe Livre (MPL) anunciaram que não vão mais promover protestos na capital paulista. O MPL vinha organizando os atos pela revogação do aumento da tarifa do transporte público na capital paulista desde o dia 6, reivindicação atendida pelos governos estadual e municipal na última quarta-feira (19).

Na manifestação de ontem (20), convocada pelo movimento para comemorar a redução das passagens, houve interferência de grupos trazendo “pautas conservadoras”, como definiu Douglas Belome, militante do MPL. Segundo ele, manifestantes com reivindicações como a redução da maioridade penal fizeram o Passe Livre, que existe desde 2005, desistir dos atos de rua na cidade de São Paulo.

Belome declarou que a luta do MPL é exclusivamente pelo transporte público e que a bandeira do movimento é a implementação da tarifa zero. Embora não rejeite outras pautas durante o protesto, o MPL apoia apenas movimentos que condizem com as suas diretrizes. “Apoiamos movimentos sociais que lutem por uma sociedade mais justa e igualitária”, disse Belome.

O militante relata que a presença de integrantes do Partido dos Trabalhadores (PT) durante a manifestação de ontem acabou atrapalhando, pois houve hostilidade de participantes de outros partidos ou dos que pediam a ausência de partidos políticos no ato.

Em nota, o movimento disse que repudia os atos de hostilidade. “O MPL é um movimento social apartidário, mas não antipartidário. Repudiamos os atos de violência direcionados a essas organizações durante a manifestação de hoje, da mesma maneira que repudiamos a violência policial. Desde os primeiros protestos, essas organizações tomaram parte na mobilização. Oportunismo é tentar excluí-las da luta que construímos juntos”.

O Passe Livre informou que vai continuar com suas atividades pela implementação da tarifa zero, colhendo assinaturas para um projeto de lei sobre o assunto.

Agência Brasil

Gostou? Compartilhe