Passo Fundo adere à mobilização

Um protesto está marcado para as 18h de hoje, com concentração entre a Avenida Brasil e rua Bento Gonçalves

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Criatividade, reciclagem e engajamento moveram a preparação para o Sexto Ato Contra o Aumento da Passagem, que está previsto para as 18h de hoje. Desde que o protesto foi marcado, diversos grupos se reuniram e confeccionam faixas e cartazes para a manifestação. Com mais de sete mil pessoas confirmadas virtualmente no evento criado no facebook, os grupos se organizaram simultaneamente, com a confecção de faixas desde domingo. Ontem os preparativos estavam mais intensos e se concentraram na sede do sindicato dos Comerciários, no Diretório Acadêmico da Engenharia e Arquitetura e no Diretório Acadêmico da Biologia.

Os estudantes do curso de biologia reutilizaram as folhas de rascunho do xerox da unidade para produzir os cartazes. As folhas foram coladas, uma a uma, para que os cartazes ficassem do mesmo tamanho que uma cartolina. Além disso, houve a colaboração da mãe de uma estudante do curso, que produziu uma bandeira do Brasil, que vai levar a frase “Em protesto”. Aos poucos, os acadêmicos ocuparam um espaço no corredor em frente ao diretório acadêmico, pegavam os cartazes, tintas e criavam frases de protesto. Amanhã, antes da manifestação, os grupos prometeram se reunir novamente para a confecção de mais cartazes.

Serviços e comércio durante o protesto

Durante a manifestação o trânsito poderá ficar interrompido de acordo com o tempo de duração e nos locais que a concentração acontecerá. Com isso, a Codepas deixa seus usuários de sobreaviso em relação a possíveis atrasos em seus itinerários nesse período. Mas a empresa solicitará à Guarda Municipal um controle para o desvio do trânsito para seguirem suas linhas. Conforme o fiscal da empresa, Carlos Gustavo Ricci Mendes, essa prática já aconteceu nas outras ocasiões que ocorreram protestos, e os desvios aconteciam a partir da liberação de outras vias pela Guarda Municipal.

O comércio poderá ter o fechamento de alguns estabelecimentos mais cedo em virtude da manifestação. Não há posicionamento oficial do Sincomércio e da CDL quanto à abertura ou fechamento durante a manifestação. De acordo com a gerente do Sincomércio, Janice Hermann, alguns lojistas já entraram em contato com a entidade, questionando se deveriam realizar seu horário normal ou se poderiam fechar os estabelecimentos mais cedo. Como não há manifesto coletivo quanto à essa questão, está aberto para cada empresa decidir se permanecerá em funcionamento até horário habitual ou fechará .

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Gostou? Compartilhe