Enquanto EUA contam votos, mundo espera resultado das eleições

Apuração ainda precisa ser concluída em pelo menos cinco estados

Por
· 1 min de leitura
Apuração apertada segue nesta quarta-feira (04) (Foto: Element5 Digital/Unsplash)Apuração apertada segue nesta quarta-feira (04) (Foto: Element5 Digital/Unsplash)
Apuração apertada segue nesta quarta-feira (04) (Foto: Element5 Digital/Unsplash)
Você prefere ouvir essa matéria?

Um dia depois de os norte-americanos terem votado em uma eleição acirrada, o restante do mundo aguarda ansioso, nesta quarta-feira, pela contagem de milhões de votos, diante de um risco crescente de dias ou mesmo semanas de incerteza jurídica.

A declaração antecipada de vitória do presidente Donald Trump na Casa Branca foi condenada por alguns especialistas políticos e grupos de direitos civis, que alertaram sobre o atropelo de normas democráticas de longa data.

A maioria dos líderes mundiais e chanceleres ficou em silêncio, tentando não adicionar combustível à fogueira eleitoral.

"Vamos esperar para ver qual será o resultado", disse o secretário de Relações Exteriores britânico, Dominic Raab. "Obviamente, há uma quantidade significativa de incerteza. Acredito que está muito mais apertado do que muitos esperavam."

Mas, enquanto Raab e outros defendiam cautela, o primeiro-ministro esloveno parabenizou Trump e o Partido Republicano via Twitter.

"Está muito claro que o povo americano elegeu @realDonaldTrump e @Mike_Pence por mais 4 anos", escreveu Janez Jansa, um dos vários líderes do Leste Europeu, incluindo Viktor Orban, da Hungria, que são aliados fervorosos de Trump. "Parabéns pelos bons resultados."

A contagem mais recente de votos mostrava o democrata Joe Biden com uma vantagem no Colégio Eleitoral - 238 contra 213, com 270 necessários para a vitória - mas a apuração ainda precisa ser concluída em pelo menos cinco importantes Estados: Pensilvânia, Michigan, Wisconsin, Carolina do Norte e Geórgia.

No Twitter, as hashtags #Trump, #Biden e #USElections2020 bombaram da Rússia ao Paquistão, Malásia ao Quênia e em toda Europa e América Latina, enfatizando o quanto todas as regiões do mundo veem o resultado como fundamental.

Na Rússia, acusada por agências de inteligência dos EUA de tentar interferir nas eleições, não houve reação oficial.

A China, cujas relações com os Estados Unidos chegaram ao pior nível em décadas sob Trump, disse que a eleição é um assunto doméstico e que "não tem posição a respeito".

A Human Rights Watch, com sede em Nova York, um dos principais grupos de direitos civis do mundo, alertou sobre a necessidade de guardar julgamento sobre os resultados até que cada voto seja contado. Com um número muito alto de cédulas pelo correio este ano por causa da pandemia de covid-19, espera-se que as contagens completas levem dias em alguns estados.

Gostou? Compartilhe