Câmara segue trabalhando com projeto de acessibilidade

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

Na tarde desta quinta (9), o presidente do Legislativo, vereador Saul Spinelli (PSB), recebeu a equipe da Universidade de Passo Fundo (UPF) responsável pelo desenvolvimento do novo projeto de acessibilidade da Câmara Municipal.

Há dois anos são feitas alterações no projeto para melhor atender a comunidade que possui a mobilidade reduzida e que precisa acessar os serviços do Legislativo. Nessa fase, foram apresentadas algumas alterações pontuais no pátio da Câmara para permitir a livre circulação de quem precisa realizar este trajeto, incluindo duas vagas de estacionamento para cadeirantes na frente do prédio da Câmara, com rampas nos acessos para pedestres desde a entrada do pátio do Paço Municipal.

Este ano uma nova equipe com quatro acadêmicos do Curso de Engenharia e Arquitetura da Universidade de Passo Fundo, coordenados e supervisionados pelo professor Eduardo Brum, assumiram a frente do projeto que busca melhorar o fluxo de pessoas, incluindo aquelas com mobilidade reduzida ou qualquer comprometimento de deslocamento em visita à Câmara Municipal. Este projeto é uma parceria com o Escritório Escola de Engenharia onde os acadêmicos têm a oportunidade de colocar em prática os objetos dos seus estudos dentro da Universidade, principalmente nesses projetos com caráter social. Essa parceria entre a UPF e a Câmara de Vereadores permite que o projeto seja desenvolvido sem nenhum custo para os cofres públicos.

Saul destacou a importância de abrir a Casa, de fato, para todas as pessoas que buscam ser atendidas pelos parlamentares, reforçando o compromisso social do Poder Legislativo. Assim, dando o exemplo a partir de ações concretas no atendimento dessas demandas que afetam os trabalhos diários da Casa e que irão melhorar as condições de acesso à Câmara.

Já para o professor Eduardo, no próximo ano seguirão os trabalhos pertinentes a este projeto. Isso propicia a mais alunos da Faculdade de Engenharia fazerem parte deste necessário desenvolvimento da construção de soluções, para que no futuro possamos contar com espaços públicos mais acessíveis para toda a comunidade.


Gostou? Compartilhe