Deflagrada Operação Origem no combate ao tráfico de drogas e crimes conexos em Erechim

A investigação, realizada pela DRACO de Erechim, durou aproximadamente 09 meses e identificou os indivíduos que faziam parte do grupo criminoso organizado

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir sua matéria?

Na manhã desta quinta-feira (13), a Polícia Civil de Erechim deflagrou a Operação Origem, com o objetivo de desarticular uma organização criminosa envolvida no tráfico de drogas e em uma série de outros crimes praticados na cidade de Erechim e região.

A investigação, realizada pela DRACO de Erechim, durou aproximadamente 09 meses e identificou os indivíduos que faziam parte do grupo criminoso organizado, inclusive os líderes da organização (dois presos recolhidos na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas - PASC). Nesse período também foram realizadas várias prisões/apreensões (menores infratores) em flagrante por tráfico de drogas e outros crimes/atos infracionais cometidos pelos criminosos.

Além do tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas o grupo também é responsável por homicídios ligados ao tráfico de drogas, roubos a joalherias (dois estabelecimentos assaltados em Barão de Cotegipe e um em Erechim, todos no ano de 2019), corrupção de menores, entre outros delitos.

Ainda conforme a investigação, a organização criminosa atua, especialmente, no bairro São Cristóvão, em Erechim.

Na ação desencadeada nesta data pela polícia foram presos preventivamente 21 pessoas, todas envolvidas com o grupo criminoso organizado, sendo 02 dessas prisões efetuadas na cidade de Porto Alegre, pelo DENARC, da Polícia Civil. Foram cumpridos também 16 mandados de busca e apreensão em diversos locais do município de Erechim que resultaram na obtenção de mais material probatório relacionado aos crimes investigados pela DRACO. Entre prisões e buscas, 40 ordens judiciais foram executadas pela Polícia Civil.

 

Gostou? Compartilhe