Entidades se reúnem no MPF a fim de buscar soluções para a questão educacional na Terra Indígena de Ventarra, em Erebango (RS)

Crianças deslocadas de sua comunidade serão atendidas em núcleo na escola Irineu Evangelista de Souza, em Erebango

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Ministério Público Federal (MPF), em conjunto com a 15ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), a Secretaria de Educação do Município de Erebango (RS), a Fundação Nacional do Índio (Funai), a Polícia Federal, a Brigada Militar e representantes da comunidade indígena de Ventarra, em Erebango, reuniram-se nessa quarta-feira (13), na Procuradoria da República em Erechim a fim de encontrar solução emergencial para a situação de desatendimento escolar em que se encontra parte das crianças da mencionada comunidade.



Após manifestação de todos os presentes, ficou definido que será implantada solução emergencial indicada pela 15ª CRE, no sentido de que as crianças que por ora estão deslocadas de sua comunidade sejam atendidas em núcleo na escola Irineu Evangelista de Souza (Erebango), com a atuação de professores e servidores ligados à educação indígena.



O serviço de transporte escolar estará garantido, saindo dos limites da terra indígena com a rodovia que a margeia. A liderança atual da comunidade ainda foi advertida sobre as consequências de eventuais embaraços à atuação da CRE na própria condução da administração da escola no interior da terra indígena.



Ao final, ficou ainda determinado que a CRE atualizará o MPF sobre a implantação da solução e o desenvolvimento das atividades educacionais.

Gostou? Compartilhe