Gripe causa mais mortes

Ocorreram os primeiro óbitos por H3N2 em Passo Fundo e por H1N1 em Carazinho

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Passo Fundo registrou mais óbitos por gripe, desta vez pelo vírus H3N2. Foram duas mulheres, uma de 81 anos, não vacinada com problemas cardiovasculares e outra com 74 anos, vacinada, mas que tinha problemas com tabagismo, pneumonia crônica e obesidade. Somente em Passo Fundo, já são quatro mortes por gripe: duas por H1N1 e duas por H3N2. Nos três primeiros casos, as vítimas não haviam feito a vacinação, mesmo estando nos grupos de riscos, e também, sofriam de outros problemas de saúde. “Trabalhar com o município a questão das vacinas”, disse a chefe do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Raquel Carneiro. Uma criança de seis também foi diagnosticado com H1N1 na última semana e segue internada no Hospital São Vicente de Paulo. A vacinação continua disponível, gratuitamente, para toda a população nos cinco CAIS da cidade: Boqueirão, Hípica, Petrópolis, São Cristóvão e Vila Luiza. A vítima de Carazinho não sofria comorbidades e não se encaixava em algum grupo de risco, mas a vacinação estava disponível para todas as faixas etárias.


O município de Carazinho teve seu primeiro óbito, mas por H1N1, na semana passada. Com 57 anos de idade, o homem também não havia feito a vacina. Até então, Passo Fundo era a única cidade abrangida pela 6ª Coordenadoria Regional de Saúde com mortes registradas pela Influenza.

 

Diferenças
O H1N1 e o H3N2 são os subtipos mais comuns do vírus Influenza A. Há alguns anos, era normal ouvir falar somente de H1N1. No entanto, os casos de H3N2 cresceram consideravelmente e se tornaram mais conhecido após um surto nos Estados Unidos. Agora, está presente não só no Rio Grande do Sul, mas como em todo o país. Ambos os vírus causam grandes complicações a saúde e pode provocar mortes. A grande diferença entre as doenças é que os vírus pertencem a formações biológicas distintas.

Gostou? Compartilhe