Estado terá primeira usina de etanol a partir da batata-doce

Fepam emitiu licença prévia para instalação da unidade no município de Carazinho

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) emitiu na sexta-feira (4) a Licença Prévia e de Instalação Unificadas da primeira usina de etanol no Rio Grande do Sul. O que diferencia este empreendimento é que ele utilizará batata-doce como matéria-prima, enquanto os demais têm como base cana-de-açúcar.

Para a presidente da Fepam, Marjorie Kauffmann, "empreendimentos como esse são de extrema importância, principalmente em um Estado agrícola como o Rio Grande do Sul, porque possibilitam a variação de matéria-prima e ajudam a manter a sustentabilidade econômica". Com a licença, o empreendedor está autorizado a instalar a usina, que será construída em uma área de três hectares no município de Carazinho.

O empresário Henrique Sudbrack Leonhardt, que trouxe a ideia após uma visita a uma usina no Mato Grosso, identificou no Rio Grande do Sul um grande potencial para produzir etanol a partir da batata-doce, já que o Estado é um dos maiores produtores do país. Segundo ele, mais de 400 famílias da agricultura familiar serão beneficiadas. "Essas famílias cultivam batata-doce há dois anos, com produção específica para a usina na transformação em etanol", informou.

Toda a mão de obra utilizada é do Rio Grande do Sul e, além das famílias beneficiadas, cerca de 50 pessoas serão empregadas, quando a usina estiver em funcionamento. De acordo com Leonhardt, haverá aproveitamento de 100% da batata-doce. O álcool será utilizado nos postos da família, e o farelo, vendido para a indústria de ração.Para a usina começar a funcionar, ainda é preciso a emissão da licença de operação por parte da Fepam, após solicitação do empresário e análise dos técnicos da fundação.

Gostou? Compartilhe