Financiamentos do Banco do Brasil crescem 30%

Agricultura familiar ainda é carro-chefe dos créditos fornecidos pelo banco neste ano a exemplo do que aconteceu em 2010

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Banco do Brasil (BB) deve fechar a Expodireto Cotrijal 2011 com um incremento de 30% na realização de negócios em comparação ao ano anterior. O balanço dos três primeiros dias de feira mostra ainda que a agricultura familiar continua sendo a principal responsável pela movimentação financeira, a exemplo do que ocorreu em 2010.

Conforme o gerente de mercado do BB, João Paulo Comerlato, um dos destaques deste ano foi em relação a aquisição de colheitadeiras. “Surpreendeu. Temos mais de 50 financiadas para o pequeno produtor. Muitos financiamentos conjuntos de mais de uma pessoa na mesma máquina. Além disso, os tratores do Mais Alimentos, e o Finame PSI para o grande produtor são as linhas mais procuradas”, pontua.

O programa Mais Alimentos já existe há dois anos e muitas pessoas já tiveram acesso a ele. “Ele ainda continua tendo bons negócios, mas a gente percebe que ela já está perdendo força”, observa.  Os prazos preferidos pelos produtores são de oito a 10 anos para o pagamento. Principalmente no Mais Alimentos que trabalha com taxas de juros de 2%.

“O bom momento que está passando a agricultura agora com alta nos preços e produtividade está criando um ânimo de tranquilidade e segurança. Tudo funciona melhor quando as safras vão bem”, conclui Comerlato.


Gostou? Compartilhe