Duas rodovias regionais estão entre as que mais registram infrações de trânsito no Estado

Rotas que ligam Passo Fundo a Nova Prata e a Tio Hugo são consideradas pontos críticos

Por
· 1 min de leitura
Lucas Marques / ON Lucas Marques / ON
Lucas Marques / ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Nos pontos críticos das 12 estradas gaúchas em que os equipamentos de controle de velocidade estão instalados, a ERS-324, entre Passo Fundo e Nova Prata, e RSC-153, entre Tio Hugo e Passo Fundo figuram na 2ª e na 3ª posição, respectivamente, das rotas com o maior registro de infrações de trânsito do Estado, segundo o monitoramento do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) divulgado na terça-feira (10).

Atrás apenas da ERS-122, entre São Vendelino e Farroupilha, que liderou a lista de locais com mais irregularidades cometidas com 1.219 imagens de infrações, durante a fiscalização realizada entre os dias 9 a 31 de outubro, os policiais rodoviários flagraram 589 irregularidades na ERS-324 e 570 na RSC-153. Os dispositivos monitoram 93 faixas de tráfego e 11,5 milhões de veículos que trafegaram pelas rotas estaduais durante o período considerado, segundo o Daer. Além desses aparelhos, foram implantadas 25 câmeras e 25 dispositivos leitores de placas, que auxiliam no rastreamento de veículos roubados.

Ainda que as regiões Serrana e Planalto comportem as três vias com mais infrações do Estado, os dados estão sendo coletados e processados pelo órgão de fiscalização, como explicou o diretor de Operação Rodoviária do Daer, Sandro Vaz dos Santos. “Em breve, poderemos detalhar mais essa avaliação e apresentar à população mais dados”, afirmou.

O secretário de Logística e Transportes do Rio Grande do Sul, Juvir Costella, afirmou que a ação busca dar mais segurança para motoristas e caroneiros nas vias gaúchas. "Além de coibirmos a imprudência nas estradas, combatemos a criminalidade, uma vez que o Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) é prontamente acionado assim que veículos suspeitos são identificados", disse. Já o diretor do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), Luciano Faustino, destacou o caráter educativo da colocação dos pardais nos trechos da malha viária. “Na medida em que os motoristas reduzem a velocidade para evitar as multas, diminuem as chances de acidentes”, enfatizou. " Os pardais, aliados aos radares portáteis, reduzem essas ocorrências e conseguem até zerá-las, especialmente em trechos perigosos”, corroborou o tenente do Comando Regional da Brigada Militar, Marcelo Stassak. 

Gostou? Compartilhe