Dois casos suspeitos de coronavírus estão internados em estado grave em Passo Fundo

De acordo com a Secretaria de Saúde, 58 casos suspeitos aguardam análise no município. Por determinação do Estado, testes estão sendo realizados apenas em pacientes com sintomas de Covid-19 em quadro moderado a grave, que demandam internação hospitalar

Por
· 3 min de leitura
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria de Saúde de Passo Fundo confirmou que, até o início desta semana, pelo menos 58 casos suspeitos de coronavírus aguardavam análise no município. Destes, oito estão internados em área de isolamento do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), dois deles em estado grave. “Até a manhã dessa quarta-feira, eram quatro pacientes que apresentavam síndrome respiratória aguda grave e estavam internados em nossa unidade especial. No entanto, no decorrer do dia, dois deles apresentaram melhoras e foram transferidos para nosso posto de retaguarda, onde ficam os casos moderados suspeitos de coronavírus”, relata a vice-diretora técnica médica da entidade, Cristine Pilati. O resultado do exame deve sair nos próximos dias.

 

Embora, até o momento, não hajam casos locais confirmados, não é possível afirmar com precisão se o vírus ainda não circula no município. Isto porque, por determinação do Estado, desde que o contágio por transmissão comunitária foi confirmado em território gaúcho, estão sendo testados para o coronavírus apenas pacientes que apresentam sintomas do Covid-19 em quadro moderado a grave, com problemas respiratórios que demandam internação hospitalar. A recomendação da Vigilância de Saúde para casos leves, com sintomas gripais, é o isolamento domiciliar por um período de 14 dias, sem a realização do teste que confirmaria ou descartaria a contaminação por coronavírus.

 

No Rio Grande do Sul, de acordo com o último boletim da Secretaria Estadual de Saúde, já são 123 casos de coronavírus confirmados. Além disso, na madrugada de quarta-feira, a Prefeitura de Porto Alegre confirmou a primeira morte por coronavírus no Estado. A vítima, uma mulher de 91 anos, estava internada desde a noite de terça-feira, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Moinhos de Vento. Ela teria sido contaminada ao entrar em contato com um paciente que testou positivo para o novo coronavírus.

 

Falta de testes pode ocultar casos positivos

De acordo com a secretária municipal de Saúde, Carla Gonçalves, além das medidas de isolamento social adotadas pelo município, os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para disponibilização dos testes podem estar entre os fatores que explicariam o motivo pelo qual ainda não há casos de coronavírus confirmados em Passo Fundo – mesmo se tratando de um município consideravelmente extenso, com aproximadamente 200 mil habitantes. “No início, a orientação do Ministério da Saúde era para que fossem coletados materiais para exame somente de pessoas vindas do exterior ou que fossem contatos próximos de pessoas suspeitas ou confirmadas com o vírus. Isso acabava restringindo os testes. Muitas pessoas vinham até nós com sintomas gripais similares aos de coronavírus, mas não podíamos fazer a coleta. Então, claro, quanto menos pessoas são incluídas no grupo que pode ser considerado suspeito, menos casos são notificados”, explica.

 

As mudanças no monitoramento de casos do Covid-19 no Rio Grande do Sul passaram a valer somente no último sábado, depois de o governo ter confirmado que o Estado vive situação de transmissão comunitária (quando não é mais possível determinar a origem do vírus, porque ele já circula entre a população local). Ainda de acordo com a secretária, agora, ter viajado para o exterior recentemente não está mais entre os critérios de avaliação. Isso permitiu ampliar a realização de testes, mas ainda em quantidade bastante limitada. “Agora, com as mudanças, todas as pessoas que procurarem uma unidade de saúde apresentando sintomas gripais, devem ser tratadas e orientadas como se fosse, de fato, um caso de coronavírus, ficando em isolamento domiciliar. Mas não temos como confirmar se é coronavírus ou não porque não podemos coletar o material para análise em casos leves, apenas em trabalhadores da área da Saúde ou, então, em casos moderados a graves, que demandam internação hospitalar por problema respiratório”, elucida.

 

Mais de 650 pessoas atendidas

Desde que foi inaugurado, na última segunda-feira, o Centro de Triagem do Coronavírus em Passo Fundo já atendeu mais de 650 pessoas. Instalado no Cais Petrópolis, o espaço atua como referência e reforço para as unidades de saúde do município, atendendo pessoas com sintomas gripais, com ou sem febre. O atendimento acontece das 7h às 22h. Segundo a secretária de Saúde, Carla Gonçalves, o número é positivo e significa que a população tem seguido as orientações municipais, evitando procurar os hospitais sem necessidade. “Somente pessoas com febre e dificuldade para respirar devem ir aos hospitais”, relembra. “E nem todo mundo que tem sintoma de gripe precisa, necessariamente, buscar atendimento. Se não tem febre, não precisa fazer consulta. Se parece resfriado, o ideal é que primeiro entrem em contato com a Central de Teleatendimento, mantida em parceria com a Universidade de Passo Fundo. A comunidade pode ligar no telefone (54) 3316-8595, das 7h às 22h, e tirar suas dúvidas sobre a doença. Assim, evitamos que as pessoas fiquem expostas, circulando nas unidades de saúde. A orientação continua sendo para que, quem pode, fique em casa”.

Gostou? Compartilhe