Câncer de pulmão é um dos mais prevalentes

Mais comum de todos os tumores malignos, o câncer de pulmão está associado ao consumo dos derivados do tabaco.O elevado índice de novos casos anuais associados a alta mortalidade deste tipo de câncer faz com que exista um grande número de pesquisas em novas modalidades de tratamento

Escrito por
,
em
Uma da melhores maneiras de ficar longe do câncer de pulmão é evitando o tabagismo

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O câncer de pulmão é, segundo o Instituto Nacional do Câncer Jose Alencar Gomes da Silva (Inca), o mais comum de todos os tumores malignos, apresentando aumento de 2% por ano na sua incidência mundial. A última estimativa mundial apontou incidência de 1,82 milhão de casos novos de câncer de pulmão para o ano de 2012, sendo 1,24 milhão em homens e 583 mil em mulheres. Em 90% dos casos diagnosticados, o câncer de pulmão está associado ao consumo de derivados de tabaco. No Brasil, foi responsável por 22.424 mortes em 2011. Altamente letal, a sobrevida média cumulativa total em cinco anos varia entre 13 e 21% em países desenvolvidos e entre 7 e 10% nos países em desenvolvimento. No fim do século XX, o câncer de pulmão se tornou uma das principais causas de morte evitáveis.

Evidências na literatura mostram que pessoas que têm câncer de pulmão apresentam risco aumentado para o aparecimento de outros cânceres de pulmão e que irmãos, irmãs e filhos de pessoas que tiveram câncer de pulmão apresentam risco levemente aumentado para o desenvolvimento desse câncer. Entretanto, é difícil estabelecer o quanto desse maior risco decorre de fatores hereditários e o quanto é por conta do hábito de fumar.

Os números
* Estimativas de novos casos: 27.330, sendo 16.400 homens e 10.930, mulheres (2014);
* Número de mortes: 22.424, sendo 13.698 homens e 8.726 mulheres (2011 - SIM)

Entrevista

Medicina & Saúde - Quais os principais tratamentos existentes hoje?
João Isidro Fracasso - Oelevado índice de novos casos anuais associados a alta mortalidade deste tipo de câncer faz com que exista um grande número de pesquisas em novas modalidades de tratamento. Novos fármacos são lançados regularmente no mercado e novas modalidades de técnicas cirúrgicas também. O tratamento do câncer de uma forma geral pode ser feito com cirurgia, quimioterapia ou radioterapia. Nos casos de câncer de pulmão podemos utilizar uma, duas ou as três modalidades de tratamento. O tratamento quimioterápico pode tanto visar destruir as células cancerígenas, como reduzir o crescimento do tumor ou amenizar os sintomas da doença. O tratamento radioterápico utiliza radiação para destruir células cancerígenas. A radioterapia pode ser utilizada antes ou após a cirurgia. Dentre as modalidades cirúrgicas destacam-se as ressecções pulmonares, que consistem na retirada parcial ou total do pulmão afetado. Atualmente estamos realizando as ressecções por videocirurgia. Conforme o estágio e o tipo de doença optamos pela melhor forma de tratamento. 

Medicina & Saúde - A videocirurgia do tórax é uma realidade desde quando? Em que casos se aplica?
João Isidro Fracasso - A cirurgia geralmente é a melhor opção de tratamento para o câncer de pulmão em estágio inicial. Se a cirurgia puder ser realizada, ela oferece a melhor chance de cura da doença. Nos últimos anos houve um desenvolvimento muito grande nas ressecções pulmonares por videocirurgia. O que possibilita ao paciente um melhor controle da dor, menor tempo de internação hospitalar, cerca de 3 dias, e uma recuperação global mais rápida. 

Medicina & Saúde - Como as pessoas podem/devem cuidar da saúde do pulmão?
João Isidro Fracasso – A melhor maneira para cuidar do pulmão é parar de fumar. O cigarro é responsável por 95 % dos casos de câncer de pulmão em homens e 80 % dos casos de câncer em mulheres, portanto a melhor forma de prevenção é evitar o consumo de tabaco. Evite também o fumo passivo. As pessoas que inalam o fumo passivo estão expostas aos mesmos agentes causadores de câncer, embora em quantidades bem menores. Alguns estudos recentes demonstram que pessoas que ingerem betacaroteno, um nutriente presente em diversos alimentos, principalmente naqueles que cor alaranjada, como a cenoura, podem diminuir o risco de câncer de pulmão, especialmente naqueles que fumam um ou mais maços por dia.

Colaborou
João Isidro Fracasso, médico pneumologista

Diagnóstico
A maneira mais fácil de diagnosticar o câncer de pulmão é através de raio-X do tórax complementado por tomografia computadorizada. A broncoscopia (endoscopia respiratória) deve ser realizada para avaliar a árvore traquebrônquica e, eventualmente, permitir a biópsia. É fundamental obter um diagnóstico de certeza, seja pela citologia ou patologia. Uma vez obtida a confirmação da doença, é feito o estadiamento, que avalia o estágio de evolução, ou seja, verifica se a doença está restrita ao pulmão ou disseminada por outros órgãos. O estadiamento é feito através de vários exames de sangue e radiológicos, como dosagens enzimáticas e ultrassonografia, respectivamente. 

Sintomas
Os sintomas mais comuns do câncer de pulmão são a tosse e o sangramento pelas vias respiratórias. Nos fumantes, o ritmo habitual da tosse é alterado e aparecem crises em horários incomuns para o paciente. Pneumonia de repetição pode, também, ser a manifestação inicial da doença.

Gostou? Compartilhe