Cirurgião cria técnica para o tratamento de pacientes que usam sonda gástrica

Pesquisa para dissertação de mestrado da Universidade de Passo Fundo é inédita no mundo

Escrito por
,
em
Dr. Renato dos Santos

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O ensino, a pesquisa e a busca por novas técnicas são fundamentais para a evolução da medicina e áreas anexas e melhora na assistência aos pacientes. Como hospital de ensino certificado pelo MEC, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo, apoia e incentiva o aprendizado e a busca por novos métodos. Recentemente o cirurgião Buco-Maxilo-Facial, Dr. Renato dos Santos, que faz parte do corpo clínico do HSVP, desenvolveu uma pesquisa para dissertação de Mestrado na Universidade de Passo Fundo, criando uma técnica inédita mundialmente para o tratamento de pacientes que necessitam do uso da sonda gástrica. O estudo contou com a orientação do Professor Doutor Fernando Fornari.


O trabalho intitulado “Sondagem Orogástrica versus Nasogástrica: Um Ensaio Clínico Randomizado de grupos Cruzados" teve como objetivo executar um ensaio clínico para comparação entre sondagem nasogástrica convencional e orogástrica com fixação do conector de alimentação intraoral por amarria dental. “Atualmente as sondas gástricas, utilizadas para nutrição dos pacientes, é instalada através da via nasal, ficando a mostra no rosto do paciente, causando grande desconforto e estética altamente prejudicada identificando em alguns momentos exclusão social para os pacientes. Isto acaba gerando a não aceitação da utilização da sonda”, relata o Cirurgião Maxilo-Facial.


No método pesquisado, a sonda é fixada dentro da boca, nos dentes, não ficando aparente. “A pesquisa foi realizada em 13 indivíduos onde comparamos a aceitação, tolerância, desconforto, praticidade, estética, fala, deglutição e mastigação, além de avaliar a influência de aceitação da sondagem nos diferentes padrões faciais dos voluntários. Nesta pesquisa, todos os quesitos do método inovador foram superiores exceto a mastigação que não mostrou diferença estatística”, salienta o pesquisador, pontuando ainda que, a sondagem orogástrica com fixação do conector de alimentação intraoral através de amarria dental é mais eficaz comparada a sondagem nasogástrica convencional, considerada até então padrão ouro.
 

O estudo segue para a fase de utilização em pacientes e processo de patente do  novo método.

Gostou? Compartilhe