Epicovid19-RS: estudo inicia nova série de testes rápidos

Pesquisa que levanta a proporção de casos de coronavírus no estado terá quatro novas etapas em nove cidades gaúchas, incluindo Passo Fundo

Escrito por
,
em
Ao todo, 4,5 mil pessoas serão testadas para o coronavírus somente nesta etapa (Foto: Daniela Xu/Divulgação)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A pesquisa Epicovid19-RS, que estima a prevalência de coronavírus na população gaúcha, inicia a quinta etapa de testes rápidos e entrevistas a partir deste final de semana, de 27 a 28 de junho,  em nove cidades do estado, entre elas, Passo Fundo. Cerca de 250 entrevistadores do Instituto de Pesquisa e Opinião (IPO) irão visitar 500 domicílios, entre os dias 26 e 28 de junho, em cada uma das nove cidades incluídas no estudo: Pelotas, Porto Alegre, Canoas, Santa Maria, Uruguaiana, Santa Cruz do Sul, Ijuí, Passo Fundo e Caxias do Sul. Ao todo, 4,5 mil pessoas serão testadas para o coronavírus somente nesta etapa.

A pesquisa, coordenada pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), em parceria com o Governo do Estado, segue o mesmo funcionamento das etapas anteriores. A diferença está no intervalo entre as rodadas de testes e entrevistas, que será definido de acordo com o monitoramento da prevalência da Covid-19 no estado. Como os números mais recentes indicam percentuais inferiores a 0,5%, o cronograma para a nova série prevê intervalo de quatro semanas entre os inquéritos: a quinta etapa ocorre neste final de semana, de 27 e 28 de junho; a sexta etapa deve acontecer de 24 a 26 de julho; a sétima, de 22 a 23 de agosto, e a oitava, de 25 a 27 de setembro. “Caso a prevalência aumente, vamos diminuir o intervalo entre as etapas. Se a proporção de casos ficar acima de 1%, o intervalo passa a ser de três semanas; se ultrapassar 5%, reduzimos para duas semanas”, explica o reitor da UFPel e coordenador geral da pesquisa, Pedro Hallal.

Na tarde desta sexta-feira, os pesquisadores participaram de uma formação para iniciar as novas etapas. A atividade foi realizada no Centro de Eventos da Universidade de Passo Fundo (UPF), que junto com a Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Imed, são responsáveis pela pesquisa em Passo Fundo.

Como é realizado o estudo

Em cada município, a seleção das residências e dos moradores que farão o teste ocorre por meio de um sorteio aleatório, utilizando os setores censitários do IBGE como base. Para a realização do exame, os entrevistadores coletam uma gota de sangue da ponta do dedo do participante, que será analisada pelo aparelho de testes em aproximadamente 15 minutos. Enquanto aguarda o resultado, o participante responde a perguntas sobre sintomas da Covid-19 nas últimas semanas, busca por assistência médica e rotina em relação às medidas de prevenção e isolamento social.

Os entrevistadores são profissionais voluntários da área de saúde, têm o cartão de identificação do estudo e usam equipamentos de proteção individual (EPIs): máscaras, aventais, sapatilhas, luvas (todos descartáveis) e óculos de proteção. A pesquisa tem o apoio das secretarias de saúde, centros de vigilância epidemiológica e órgãos de segurança pública dos municípios. Em caso de dúvida, os participantes podem entrar em contato com a Brigada Militar ou a Guarda Municipal para obter confirmar informações sobre a abordagem às casas.

Sobre o estudo

O estudo conta com a parceria de doze universidades públicas e privadas: Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA); Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos); Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc); Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ); Universidade Federal de Santa Maria (UFSM); Universidade Federal do Pampa (Unipampa/Uruguaiana); Universidade de Caxias do Sul (UCS); IMED e Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS/Passo Fundo), Universidade de Passo Fundo (UPF) e Universidade La Salle (Unilasalle).

Os financiadores do projeto são a Unimed Porto Alegre, o Instituto Cultural Floresta, também da capital, e o Instituto Serrapilheira, do Rio de Janeiro.

Os resultados serão divulgados por integrantes da coordenação do estudo e do Governo do RS em aproximadamente 48 horas após a finalização da coleta de dados.

Gostou? Compartilhe