Estudo estima a existência de 24,8 mil casos positivos de Covid-19 em todo o Estado

Resultados da terceira etapa da pesquisa sobre a prevalência da Covid-19, coordenada pela Universidade Federal de Pelotas, foram divulgados no início da tarde desta quarta-feira

Escrito por
,
em
(Foto: Luís André/Secom)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O governador Eduardo Leite divulgou, no início da tarde desta quarta-feira, os resultados da terceira rodada de testes rápidos da pesquisa sobre a prevalência da Covid-19 no Rio Grande do Sul. Nesta terceira etapa do estudo, coordenado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) em parceria com outras 12 universidades públicas e privadas, foram testados cerca de 4,5 mil moradores de nove municípios gaúchos. Destes, 10 testaram positivo para o coronavírus, sendo quatro deles moradores de Passo Fundo. Os dados, coletados no último fim de semana, apontam que para cada caso notificado em território gaúcho, existem cerca de nove não notificados. Isto resulta numa estimativa de que 24,8 mil pessoas já teriam sido contaminadas pela Covid-19 no Rio Grande do Sul – enquanto, oficialmente, apenas 2,9 mil casos foram confirmados pela Secretaria Estadual de Saúde até o momento.


Alerta para Passo Fundo

O fato de quatro casos terem sido confirmados apenas em Passo Fundo, de acordo com o governador, emite um alerta para a necessidade de olhar para a situação da cidade com mais atenção. Nas palavras de Leite, o município mudou da bandeira vermelha para a laranja “raspando” no limite para cálculo de troca. No sábado, os dados de todo o Estado devem ser avaliados novamente para determinar a mudança ou manutenção das bandeiras nas 20 regiões gaúchas, conforme o modelo de distanciamento social controlado adotado em território gaúcho. Caso os dados apresentem piora, é possível que sejam determinadas medidas mais restritivas para Passo Fundo.



Gostou? Compartilhe