Mercosul adota rótulo frontal nos alimentos

Medida irá facilitar e tornar o entendimento mais claro da quantidade contida nos alimentos de nutrientes considerados críticos

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os países que compõem o Mercosul vão adotar rotulagem frontal para tornar a leitura mais simples e alertar o consumidor dos componentes nutricionais dos alimentos. A medida proposta pelo governo brasileiro foi tema de uma declaração assinada pelos ministros da Saúde do Brasil, Gilberto Occhi; da Argentina, Adolfo Luis Rubinstein; do Paraguai, Carlos Morinigo; do Uruguai, Jorge Basso e o do Chile, Alfredo Bravo. Todos participam da 42ª Reunião Ordinária de Ministros de Saúde do Mercosul, em Assunção, no Paraguai, que, além da segurança alimentar e nutricional, tratam de temas como acesso universal à saúde, medicamentos essenciais, tabagismo, doenças imunopreveníveis e migração.


O rótulo localizado na frente dos alimentos irá facilitar e tornar o entendimento mais claro da quantidade contida nos alimentos de nutrientes considerados críticos, como o açúcar, sódio e as gorduras totais, trans e saturadas, que estão associadas a doenças crônicas, como a hipertensão e o diabetes. Além disso, a proposta inclui que o rótulo alerte a população do conteúdo excessivo desses nutrientes, que determine um limite máximo e que permita a opção de escolha do melhor alimento, em questões nutricionais ao consumidor. A medida considerou o crescimento do sobrepeso e da obesidade em todos os grupos etários, que hoje afetam os países do bloco Mercosul. No Brasil, dados da Vigitel 2017, apontam que 54% da população estão com excesso de peso e 18,9% estão obesos entre os brasileiros.


Consumo de alimentos saudáveis
O incentivo para uma alimentação saudável e balanceada e a prática de atividades físicas é prioridade do Governo Federal. O Ministério da Saúde adotou internacionalmente metas para frear o crescimento do excesso de peso e obesidade no país. Durante o Encontro Regional para Enfrentamento da Obesidade Infantil, realizado em março, em Brasília, o país assumiu como compromisso deter o crescimento da obesidade na população adulta até 2019, por meio de políticas intersetoriais de saúde e segurança alimentar e nutricional; reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta, até 2019; e ampliar em no mínimo de 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente até 2019. Outra ação para a promoção da alimentação saudável foi a publicação do Guia Alimentar para a População Brasileira. Reconhecida mundialmente pela abordagem integral da promoção à nutrição adequada, a publicação orienta a população com recomendações sobre alimentação saudável e consumo de alimentos in natura ou minimamente processados.


Alimentos com muito açúcar terão alerta 
O Brasil apresentou proposta de nova rotulagem de alimentos e acordo com a indústria para redução de açúcar em alimentos ultraprocessados durante a Assembleia Mundial da Saúde, em maio deste ano, na Suíça. As medidas visam facilitar a compreensão do consumidor e trazer orientações claras para escolhas mais saudáveis.


A discussão de um novo modelo de rotulagem está sendo conduzida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com a ajuda do Ministério da Saúde e de entidades do setor saúde, indústrias e institutos de defesa do consumidor. Modelos com o apresentado pela Associação Brasileira da Indústria da Alimentação (Abia), o adotado pelo Chile, o desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) e o da Fundação Ezequiel Dias (Funed) estão sendo debatidos e considerados pelos participantes. As discussões começaram em 2014 e contaram com a contribuição de consumidores brasileiros, que participaram através de pesquisas.

Gostou? Compartilhe