OMS suspende testes com hidroxicloroquina e cloroquina

Estudo publicado na sexta-feira (22) mostrou maior taxa de mortalidade entre pacientes que receberam o remédio

Escrito por
,
em
35 países fazem parte de ensaio que testa os efeitos dos medicamentos (Foto: Martin Sanchez/Unsplash)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Dr Tedros Adhanom Ghebreyesus, informou hoje (25) que suspendeu os testes com os medicamentos hidroxicloroquina e cloroquina. A decisão vem depois da publicação na sexta-feira (22) de um estudo observacional sobre o uso dos medicamentos e seus efeitos em pacientes hospitalizados de Covid-19. Os autores relataram que estimaram uma maior taxa de mortalidade entre os pacientes que receberam o remédio sozinho ou com um macrólido (um tipo de antibiótico).

O grupo executivo responsável pelos testes, com representantes de 10 países participantes, se reuniu no sábado e concordou em realizar uma “análise abrangente e avaliação crítica de todas as evidências disponíveis globalmente”, de acordo com Ghebreyesu. A análise deve medir o potencial do medicamento causar benefícios ou prejuízos. O diretor ainda ressalta que os medicamentos são seguros para pacientes com malária e doenças autoimunes. 

Ensaio Solidariedade

Os testes do efeito da hidroxicloroquina e cloroquina em pacientes com Covid-19 fazem parte do Ensaio Solidariedade, que foi implantado há mais de dois meses pela OMS para avaliar a eficácia de quatro medicamentos e combinações de remédios contra a COVID-19. Participam dos teste mais de 400 hospitais em  mais de 35 países. Até o momento, quase 3500 pacientes de 17 países foram inscritos. Os estudos de cloroquina e hidroxicloroquina foram os únicos pausados, o diretor-geral garantiu que os demais testes continuam.

Trump e Bolsonaro*

Os medicamentos são bandeiras do Presidente americano, Donald Trump, e de Bolsonaro. Trump afirmou inclusive que está tomando hidroxicloroquina diariamente como medida de prevenção, apesar de constantes alertas de especialistas. A Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA (FDA, na sigla em inglês) emitiu alerta sobre o uso do remédio ainda em 24 de abril. A FDA disse que está "ciente de relatos de sérios problemas de arritmia cardíaca" em pacientes de covid-19 tratados com a hidroxicloroquina ou com cloroquina.

Na semana passada, o Ministério da Saúde incluiu a cloroquina, e seu derivado hidroxicloroquina, no protocolo de tratamento para pacientes com sintomas leves de covid-19 no Brasil. De acordo com o novo protocolo, cabe ao médico a decisão sobre prescrever ou não a substância, sendo necessária também a vontade declarada do paciente, com a assinatura do Termo de Ciência e Consentimento.

*Com informações da Agência Brasil    

Gostou? Compartilhe