Emergência do HSVP atinge capacidade máxima

Suspensão tem prazo indeterminado

Por
· 2 min de leitura
Foto: Divulgação

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Direção Técnica Médica do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo comunicou nesta tarde (02) que o setor de emergência está fechado para consultas, devido a superlotação da unidade. O atendimento foi suspenso "por medida de segurança dos pacientes e da boa prática médica". A medida tem prazo indeterminado. O hospital enfatizou que o atendimento para os casos de urgências e emergências médicas continuará, como acidentes de trânsito, infartos, politraumas, acidente vascular cerebral.


O HSVP também informa que os pacientes suspeitos de COVID-19 são atendidos na Força Tarefa, ao lado da Emergência, portanto, não ficam em observação ou internados junto com os pacientes da Emergência.           

Quando devo procurar a Emergência?


A Emergência e Urgência do HSVP  é referência para atendimentos de alta complexidade. Na Emergência do HSVP, os pacientes são atendidos conforme o “Sistema Manchester” de Classificação de Risco, determinando a ordem de atendimento ao usuário, em conformidade com a gravidade da sua condição clínica, garantindo que o primeiro atendimento médico ocorra em tempo ideal, segundo a estratificação de cores, que sugerem níveis de gravidade clínica particulares e metas de tempo a serem atingidas. A Emergência do hospital deve ser utilizada nos casos de urgência e emergência, diante de imprevistos. Se a situação não é de gravidade imediata, o hospital recomenda que o paciente procure um médico de confiança. Além disso, o ambiente confinado da emergência, representa um risco de transmissão de doenças contagiosas como conjuntivite, tuberculose, gripe, meningite e virose, por exemplo.


O Hospital também emitiu uma relação de casos em que o atendimento deve ser realizado no Pronto Socorro/Emergência:

• Acidentes de carro;

• Acidentes de origem elétrica;

• Acidentes com projeteis de armas de fogo;

• Acidentes com armas brancas;

• Acidentes com animais peçonhentos (cobra, escorpião etc.);

• Lesões esportivas;

• Fraturas e cortes por acidentes ou quedas;

• Queimaduras;

• Afogamentos;

• Hemorragia;

• Infarto do miocárdio (dor no peito);

• Dificuldade respiratória ataque de asma, pneumonia;

• Derrames, perda de função e/ou dormência nos braços ou pernas;

• Perda de visão ou de audição súbitas;

• Inconsciência;

• Confusão, alteração do nível de consciência, desmaio;

• Pensamentos suicidas ou homicidas;

• Intoxicações por medicamentos ou drogas;

• Dor abdominal grave e vômito persistente;

• Intoxicação alimentar;

• Sangue no vômito, na tosse, na urina ou nas fezes;

• Reações alérgicas graves à mordida de inseto, a alimento ou à medicação;

• Complicações de doenças; e

• Febre alta, acima de 38, 5ºC

• Dor no peito

• Dor de cabeça com início súbito

Gostou? Compartilhe