Cáries e diabetes podem ter alguma relação na vida de um indivíduo

Diabéticos com níveis descontrolados têm até três vezes mais chances de desenvolver a periodontite

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A existência de uma relação entre problemas bucais e a diabetes já é muito estudada pela ciência, e os pesquisadores investigam o impacto das cáries e da periodontite no organismo como um todo. Um projeto iniciado em 2005, chamado de Projeto Diabetes, além de oferecer auxílio clínico à população, está auxiliando a obter maiores conhecimentos por trás dessa associação.


Outro estudo, que ainda está em andamento, busca analisar os níveis de citocinas inflamatórias presentes em indivíduos diabéticos com problemas periodontais. O estudo envolve 47 participantes, divididos em quatro subgrupos: pacientes com diabetes, pacientes com problemas bucais, pacientes com ambas as condições e pacientes saudáveis (para fins de comparação). Os exames de saliva e sangue serão analisados pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), do Rio de Janeiro, visando identificar se o tratamento das inflamações provenientes das doenças bucais influenciará nas taxas de glicemia de pessoas diabéticas.

 

A influência da diabetes sobre os problemas bucais
A Associação Dental Norte-Americana divulgou um artigo com diversos estudos internacionais feitos nas últimas cinco décadas indicando que o risco de desenvolver periodontite, cárie e gengivite é maior em pessoas diabéticas que não conseguem ter um bom controle glicêmico (os pacientes que conseguem lidar melhor com a doença têm menos problemas bucais). Outra pesquisa, a Terceira Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição dos Estados Unidos, levou em consideração milhares de pessoas, e confirmou que diabéticos com níveis descontrolados tem até três vezes mais chances de desenvolver doenças, como periodontite, em comparação aos que conseguem manter as taxas adequadas ou às pessoas sem diabetes.

 

A influência dos problemas bucais sobre a diabetes
Existe mais de uma variável que pode explicar essa relação. Problemas bucais como a periodontite, assim como a diabetes (principalmente a do tipo 2), têm relação próxima de componentes inflamatórios. Nesse sentido, a doença periodontal aumenta as taxas de citocinas que causam processos inflamatórios (resposta natural do corpo para combater o problema), e isso tende a aumentar a resistência à insulina dos diabéticos, cujo organismo já está condicionado a produzir tais substâncias em excesso. Essa análise mostra por que pessoas diabéticas que também possuem doenças bucais encontram mais dificuldade para controlar o índice glicêmico quando comparadas com quem possui diabetes e está com a saúde bucal em dia. É claro que o controle da glicemia não depende intrinsecamente da saúde oral, mas é visível o papel que tratamentos odontológicos podem exercer na saúde de pacientes diabéticos.

 

Ciência continua estudando relação entre diabetes e problemas bucais
Além de todos os estudos mencionados, outra pesquisa, encabeçada pelo Departamento de Odontologia da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB (Universidade de Brasília), realizou uma revisão bibliográfica para compreender melhor essa relação entre a incidência de cáries e a diabetes. Os pesquisadores acreditam que a presença de cáries pode ser um importante sinal de diabetes mellitus descontrolada.

Gostou? Compartilhe