Colonoscopia, o exame para diagnóstico das doenças intestinais

Medicina & Saúde - este exame é de extrema importância para o diagnóstico de diversas doenças intestinais, apesar do grande preconceito que ainda existe em parcela da população.

Por
· 3 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Para muitas pessoas, a palavra colonoscopia pode soar estranho. Ou dar um certo friozinho na barriga com medo de se submeter ao exame. Entretanto, este exame é de extrema importância para o diagnóstico de diversas doenças intestinais, apesar do grande preconceito que ainda existe em parcela da população. Ele pode, inclusive, detectar câncer de intestino que, se diagnosticado cedo, terá mais chances de chegar à cura.

Para entender como funciona e para que Server a colonoscopia, o Medicina & Saúde conversou com a médica Daiane Anzolin. Confira.

 

 

Medicina & Saúde – Como pode ser definida a colonoscopia?

Daiane Anzolin – A colonoscopia é um exame endoscópico que permite a visualização do interior de todo o cólon e da porção final do intestino delgado. Serve para diagnóstico e tratamento de doenças intestinais. Atualmente é considerado um exame de prevenção do câncer colorretal, pois, se sabe que a maioria dos tumores de intestino se forma a partir de lesões benignas chamadas pólipos, que são facilmente removidas no momento do exame.”

 

 

M&S – Quando é necessário fazer este exame?

DA – A colonoscopia pode ser indicada para quem apresenta os seguintes sintomas: dor abdominal, constipação intestinal, diarréia, sangramento anal, descarga anal de muco e alteração no funcionamento intestinal

 

 

M&S – A colonoscopia pode ser realizada em pessoas sem sintomas?

Da – Sim, colonoscopia tem grande valor no acompanhamento e rastreamento de indivíduos assintomáticos pertencentes às populações de alto risco de desenvolverem câncer colo-retal. (Confira quadro).

 

 

M&S – Como deve ser a preparação do paciente para o exame?

DA – Na véspera do exame há necessidade de fazer a limpeza do intestino por meio de dieta e uso de laxativos orientados pelo médico ou enfermeiro. É importante ingerir bastante líquidos na véspera do exame, para ajudar na limpeza do intestino e prevenir a desidratação. Há necessidade de jejum de 06 horas antes do exame. É importante avisar o médico sempre sobre eventuais problemas de saúde e medicamentos utilizados.

 

 

M&S – Como é realizado este exame?

DA - Na hora do exame o paciente será colocado de lado e ficará com seus sinais vitais monitorizados. Uma enfermeira irá pegar uma veia para administração de soro e medicamentos. Quando o paciente estiver relaxado e adequadamente sedado, o exame terá início. O médico irá introduzir o colonoscópio através do ânus, progredindo lentamente pelo reto e depois cólon, conforme vai injetando gás para insuflar as alças intestinais. O exame demora entre 20 e 60 minutos. Se a limpeza do cólon não estiver satisfatória, o médico costuma optar por interromper o exame, remarcando-o para outra data.

 

 

M&S – A recuperação após o exame é difícil?

DA – O paciente permanece na sala de recuperação por uma a duas horas após pode ser liberado para casa. A colonoscopia é geralmente bem tolerada e raramente causa dor. Pode ocorrer sensação de pressão, inchaço ou cãibra em alguns momentos após o exame, que desaparecem em seguida. A dieta será liberada, a não ser que o médico oriente de outra forma.

 

 

 

 

Cuidados após o procedimento

  • Não dirigir nenhum tipo de veículo automotivo, por um período de 12 horas,
  • Não retornar ao trabalho, caso seja sedado,
  • Não retornar para casa sem acompanhamento,
  • Alimentação leve,
  • Ingerir liquidos.

 

Riscos da colonoscopia

A colonoscopia é um exame bastante seguro. Porém, como qualquer procedimento médico, há sempre risco de problemas. A taxa de complicações é 0,2% e o risco de morte é de 0,007%. As complicações são mais comuns quando se necessita retirar um ou mais pólipos. Ainda assim, o risco é muito baixo.

Sangramentos podem ocorrer a partir de biópsias ou remoção de pólipos, mas é geralmente mínimo e podem ser facilmente controlados. Outra complicação possível, mas rara, é a perfuração do cólon.

 

Atenção

Você deve entrar em contato com o seu médico imediatamente se após o exame tiver qualquer um dos seguintes sintomas:

- Dor abdominal intensa (não apenas cólicas dos gases),
- Grande distensão do abdômen,
- Vômitos,
- Febre,
- Sangramento nas fezes persistente ou em grande volume.

 

 

Populações de alto risco de desenvolverem câncer colo-retal

1) Pessoas com mais de 50 anos
2) Pessoas com história familiar de câncer,
3) Pessoas com história familiar de pólipos
4) Pessoas com história de Síndrome Familiar com ou sem polipose,
5) Pacientes com história pregressa de câncer,
6) Pacientes com história pregressa de pólipos ,
7) Pacientes com doença inflamatória intestinal crônica. (retocolite ulcerativa ou doença de Crohn) 

Gostou? Compartilhe