Embolização prostática em Passo Fundo

HSVP é um dos 10 hospitais do país aptos para realizar o procedimento

Por
· 1 min de leitura
Dr. Douglas Pedroso é urologista

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Hospital São Vicente de Paulo de Passo Fundo é um dos 10 hospitais creditados no país, pelo Conselho Federal de Medicina, para a realização do procedimento de Embolização Prostática, usado para o tratamento de hiperplasia prostática, crescimento natural da próstata (sem relação com o câncer de próstata) que dificulta e pode até impedir a passagem da urina pela uretra. O procedimento funciona através da redução ou interrupção do fluxo sanguíneo para os vasos que fornecem sangue para a parte central do tecido prostático, assim, reduz o volume da próstata e alivia os sintomas. O radiologista intervencionista e o urologista, profissionais capacitados para realizar o procedimento, inserem um cateter num vaso sanguíneo na virilha e orientaram o cateter sob a imagem para cada artéria prostática. Depois, microesferas são injetadas nas artérias prostáticas, fazendo com que o fluxo sanguíneo para o tecido central da próstata possa diminuir ou parar.

 

Rápida recuperação
No Hospital São Vicente a técnica pioneira é desenvolvida pelos profissionais Dr. Guilherme Araújo, radiologista intervencionista responsável pelo procedimento e creditado para a realização do mesmo, e Dr. Douglas Pedroso, urologista responsável técnico pelo procedimento. A Embolização Prostática é minimamente invasiva e a recuperação do paciente é rápida. A indicação é feita pelo urologista, profissional que pode indicar os pacientes para realizar o procedimento no serviço do HSVP.

 

Hiperplasia
Com o passar dos anos, praticamente todos os homens terão hiperplasia, mas ainda não se sabe por que alguns desenvolvem mais e outros menos os sintomas que se iniciam, geralmente, a partir dos 50 anos de idade e se tornam mais intensos depois dos 60 anos. Mais informações: (54) 99630-3700.

 

Sintomas
- Dificuldades para urinar
- Diminuição da força do jato urinário
- Gotejamento no final da micção
- Micção em dois tempos
- Desejo de urinar durante a noite
- Necessidade de urinar várias vezes durante o dia

Gostou? Compartilhe