Estado registra três novos casos suspeitos de coronavírus

Boletim divulgado pelo Ministério da Saúde na tarde de sexta-feira (28) inclui o quadro da passo-fundense que apresentou sintomas de alerta ao Covid-19 ainda no início da semana

Por
· 4 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O número de casos suspeitos do novo subtipo do coronavírus registrados no Rio Grande do Sul chegou a 27 na tarde da última sexta-feira (28). Os dados, que constam no boletim mais recente do Ministério da Saúde, mostram três novas suspeitas em território gaúcho em comparação com o levantamento divulgado no dia 27 de fevereiro. Entre os casos, está o da passo-fundense de 49 anos que apresentou sintomas gripais de alerta ao Covid-19 ainda na segunda-feira (24), ao regressar de uma viagem à Itália – mesmo país onde esteve o homem de 61 anos, morador de São Paulo, cujo caso de coronavírus é o único confirmado no Brasil até o momento.


Ainda de acordo com o boletim do Ministério da Saúde, em número de casos suspeitos, o Rio Grande do Sul fica atrás apenas do Estado de São Paulo, onde 66 pacientes foram diagnosticados com sintomas de alerta ao coronavírus. Ao todo, no Brasil, 182 casos permanecem classificados como suspeitos. Outros 71 foram descartados. Como determina o protocolo nacional de contingência, esses pacientes devem ficar isolados até que a hipótese de contaminação seja descartada. É o que acontece, atualmente, com a paciente habitante de Passo Fundo. Ela encontra-se em isolamento domiciliar, sendo monitorada por uma equipe médica do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP). A Secretaria de Saúde estima que o resultado da análise do material biológico coletado da paciente seja emitido em até três dias.


Como explica a vice-diretora técnica do HSVP, Cristine Pilati, o motivo pelo qual o isolamento domiciliar é a orientação mais recomendada em casos suspeitos leves, em que as condições clínicas do paciente permitem tal medida, é a intenção de evitar a contaminação intra-hospitalar. “Quando há necessidade de internação, os pacientes ficam em leitos especiais de isolamento que foram reservados dentro da instituição, com fluxo de atendimento que foi previamente planejado e treinado pelas equipes”, explica. O encaminhamento é semelhante ao realizado no Hospital de Clínicas de Passo Fundo, uma vez que a instituição também está integrada ao plano de contingência municipal, estadual e brasileiro, conforme informado em nota.


Sintomas de alerta

Enquadram-se como suspeitos do novo coronavírus pacientes que apresentem febre e pelo menos um sinal ou sintoma respiratório, como falta de ar, especialmente aqueles que viajaram para a China e países europeus ou tenham histórico de contato próximo com alguém que esteja com suspeita da doença. Se confirmada a suspeita, além do isolamento, as medidas previstas para atendimento do caso incluem a colocação de máscara cirúrgica no paciente para evitar a transmissão da doença. “Já organizamos folderes e materiais explicando os cuidados no domicílio para paciente, com orientações referentes a higienização das mãos, uso do álcool gel e as formas de prevenir a contaminação”, complementa a vice-diretora técnica do HSVP.


Pilati destaca ainda que a elaboração de medidas e estratégias para o combate do coronavírus vêm acontecendo no HSVP antes mesmo da chegada da doença no país. “Por ser referência para uma grande região, entende-se também que, em caso da doença, o hospital receberia um grande número de pacientes. Com isso, as equipes de Vigilância Epidemiológica Hospitalar, Controle de Infecção, Direção Técnica Médica e Administração confeccionaram um protocolo institucional para os atendimentos dos pacientes com suspeita/confirmação do coronavírus, baseado em informações do Ministério da Saúde e OMS”.


Com o protocolo, a instituição também iniciou os treinamentos com as equipes multiprofissionais do Hospital, além de treinamentos e reuniões com a 6ª Coordenadoria Regional de Saúde e Secretária Municipal de Saúde de Passo Fundo; a montagem de um fluxo de atendimento; a organização de leitos de isolamento; e a distribuição pela 6ª Coordenadoria Regional de Saúde do Estado de kits para coleta de exames.

 

Campanha de conscientização
Atento às questões que envolvem a categoria médica e a saúde da população em geral, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) lançou nesta semana a campanha: “Prevenir: faça disso um hábito. Higienize suas mãos”, com distribuição de folders e sachês com álcool gel. Foram desenvolvidos materiais gráficos, online e comunicação interna aos colaboradores para conscientização sobre a importância da higienização das mãos; assim como a necessidade de procurar um médico em casos de sintomas e dúvidas relativas ao coronavírus.
Desde sexta-feira (28), representantes do Simers têm visitado diferentes instituições representativas, hospitais e estabelecimentos de saúde para destacar a relevância da disponibilidade de condições para que profissionais e população façam a constante higienização das mãos, conforme é a recomendação mundial, principalmente neste momento crítico em que cidadãos apresentam-se com o vírus em diversos países, inclusive no Brasil.

 

Expodireto
Prestes a reunir milhares de pessoas em uma das maiores feiras do agronegócio internacional, em um momento em que o Rio Grande do Sul vem registrando diversos casos suspeitos de coronavírus, a direção da Expodireto Cotrijal informou que a organização do parque, a exemplo de anos anteriores, está alinhada com as secretarias municipais de Saúde de toda a área de ação da cooperativa, com infraestrutura adequada e ações preventivas para atender os visitantes. As medidas e ações seguem recomendação do Ministério da Saúde e visam evitar que a aglomeração de pessoas possa contribuir na proliferação de um possível vírus.

 

Gostou? Compartilhe