Fisioterapia presente durante a gestação, pré e pós parto

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A gravidez é um período especial para as mulheres, tempo de descobertas com o corpo e trocas de humor. A produção de hormônios durante essa fase permite que a mulher viva algumas alterações físicas e emocionais. A prática de exercícios físicos durante a gravidez ajudam a controlar esses níveis hormonais e também a evitar dores musculares recorrentes, por isso é sempre importante consultar um médico para a prática destas atividades.

 

Mas você já ouviu falar em fisioterapia pélvica durante a gestação? Essa é uma especialidade que atua na preparação para o parto, a fim de aumentar a mobilidade pélvica, preparar o períneo para a fase expulsiva do bebê e prevenir diástase abdominal. Os exercícios tem um objetivo para cada fase da gestação, que se inicia a partir do segundo trimestre da gravidez ou após liberação médica. Além de fortalecer músculos da região perineal e auxiliar na diminuição da dor, os exercícios previnem possíveis disfunções no pós-parto, como a incontinência urinária e ajudam na recuperação.

 

Os exercícios propostos para cada estágio da gestação variam desde o método pilates, até dança, hidroginástica e ioga. Estas atividades tem  como objetivo o fortalecimento muscular, a mobilidade pélvica e o uso da respiração.

 

Os exercícios devem sempre ser acompanhados por um profissional especializado, pois algumas posturas podem aumentar a pressão no abdômen, assim favorecendo a diástase do músculo reto abdominal. Essa alteração pode contribuir futuramente com as disfunções pélvicas.

 

Para quem deseja o parto cesariana, a fisioterapia pélvica ajuda a aliviar dores lombares, dores na região do púbis, dor pélvica crônica, inchaço e fadiga.

 

Especialmente no parto normal, a mobilidade pélvica ajuda para um trabalho de parto mais rápido, aumentando a dilatação do colo uterino e diminuindo dores. A fisioterapia utiliza de técnicas como a massagem perineal, na qual tem objetivo de diminuir lacerações e o risco de episiotomia. Outro recurso utilizado é o epi-no, onde a partir das 34 semanas de gestação ele vai auxiliar no alongamento da musculatura vaginal e no treino expulsivo do bebê.

 

 

Thainá do Nascimento

Fisioterapeuta Pélvica

Crefito 227633-F

Endereço: Clínica Contour. Rua Uruguai 1932, Ed. Medical Care, Salas 303 e 304. Passo Fundo.

(54) 3601 1512, (54)9 99661512, (54)9 96054650

Gostou? Compartilhe