HSVP lança campanha para divulgar sangue raro

Lançamento da campanha reuniu direção do hospital, autoridades e colaboradores do HSVP

Por
· 1 min de leitura
Lançamento da campanha reuniu direção do hospital, autoridades e colaboradores do HSVP

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Na data em que completou nove anos de funcionamento (segunda-feira), o Serviço de Hemoterapia do Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), de Passo Fundo, lançou a campanha de doação de sangue de 2020 “Quando não existe doador, todo sangue é raro!”. A intenção é divulgar a existência do sangue raro entre os fenótipos identificados em alguns doadores de sangue, como também em alguns pacientes.
A Hematologista e Responsável Técnica da Hemoterapia, Cristiane Rodrigues de Araújo destacou que são nove anos de muita dedicação, crescimento profissional e pessoal. “Começamos com o quantitativo de 24 funcionários, hoje temos mais de 60. Com certeza, posso dizer com orgulho que somos referência, não só no estado, mas também, referência nacional e temos uma equipe de excelência. Parabéns a todos que fazem parte deste time”, pontuou.
Para ilustração da campanha , foi utilizado o trevo de quatro folhas, simbolizando o sangue raro. “Um em cada dez mil trevos tem quatro folhas, assim como um em cada mil doadores pode ser identificado com sangue raro ou uma composição fenotípica diferente”, afirma Cristiane. Além disso, a quarta folha do trevo é composta por duas gotas de sangue, que formam um coração, “mostrando a importância do doador no sentido de salvar vidas”, ponderou a médica.
Sangue raro
Conforme o Serviço de Hemoterapia, é de conhecimento geral as expressões sobre grupo sanguíneo “classificação ABO e RhD”, porém, existem mais de 36 sistemas de grupos sanguíneos sendo citados, que estão envolvidos na imuno-hematologia básica.
O antígeno de alta frequência é constatado quando mais de 99% da população é positiva para determinado antígeno, assim pode-se classificar o conceito de sangue raro em duas maneiras: aqueles indivíduos que apresentam ausência de antígenos de alta frequência e aqueles indivíduos que apresentam uma combinação de múltiplos antígenos dos sistemas RH, KE, JK, FY e MNS.
Cristiane diz que a relevância de divulgar sobre o sangue raro na comunidade passo-fundense e região, para que as pessoas saibam da existência desse tipo de sangue e que “esse doador com sangue raro pode ser, no futuro, o paciente com sangue raro” destaca.
Presente na comemoração, o presidente do HSVP, José Miguel Rodrigues da Silva, parabenizou a equipe de Hemoterapia pelo serviço realizado e falou da importância da doação de sangue e do ato de doar sangue. “O doador não está simplesmente fazendo uma doação, ele está transmitindo vida”, enalteceu.

Gostou? Compartilhe