Mitos e verdades sobre a limpeza dos ouvidos

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Para muitas pessoas, limpar os ouvidos faz parte da rotina diária. Mas o que nem todos sabem é que esse procedimento só deve ser feito quando os ouvidos estiverem entupidos ou em caso de dor. O médico otorrinolaringologista Aloysio Augusto Tahan de Campos Netto listou os principais mitos e verdades sobre os cuidados com os ouvidos.

O uso de cotonetes faz mal

O uso incorreto e imprudente de cotonetes pode causar traumas no canal auditivo externo, no tímpano, nos ossículos da audição e até na orelha interna. O ideal é fazer a limpeza superficialmente com a ponta de uma toalha ou utilizar cotonetes apenas na entrada do canal auditivo, sem  aprofundá-los.

A limpeza de ouvidos deve ser feita somente por um especialista

A orientação correta é procurar um atendimento médico sempre que houver sensação de ouvidos tampados, dores, sangramentos, secreção, zumbidos ou tonturas. O otorrinolaringologista tem formação e materiais específicos para fazer a limpeza, que normalmente acontece com curetagem do cerume por meio de lavagem com seringa especial e soro fisiológico morno ou aspiração.

Zumbidos podem indicar doença

Estudos científicos mostram que os zumbidos podem estar presentes em 12 a 15% da população. Eles podem ser constantes, intermitentes, bilaterais, unilaterais, pulsáteis etc. Existem inúmeras

causas que podem ir de distúrbios cocleares, vasculares, metabólicos e hormonais até tumores na orelha, no osso temporal e na base do crânio. Por isso, o correto é procurar orientação médica.

Usar azeite ou álcool ajuda a desentupir o ouvido

Existem medicamentos de uso tópico que podem amolecer o cerume. Não se deve usar azeite, já o álcool pode ser usado apenas em casos de entrada de pequenos animais nos ouvidos, como insetos.

Gostou? Compartilhe